Última hora

Em leitura:

Pedidos de asilo aumentam 64%


Portugal

Pedidos de asilo aumentam 64%

Segundo o Relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo relativo a 2016, apresentado pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras esta segunda-feira, o número de pedidos de proteção internacional, a Portugal, aumentou 64 por cento, entre 2015 e 2016. O valor mais elevado dos últimos 15 anos (1469 pedidos).

A maioria dos cidadãos, que pediu asilo a Portugal, é oriundos de países da Ásia, 642 e de África, 611. Da Síria chegaram mais de quatrocentas pessoas, da Eritreia, quase 250 e do Iraque mais de uma centena.

Salem chegou a Portugal, via Sudão e depois de passar por Itália, é originária da Eritreia e espera reconstruir aqui a sua vida:

“As pessoas em Portugal receberam-me, a mim e ao meu bebé, calorosamente, são pessoas muito simpáticas e amigáveis. Estou muito feliz que a minha filha tenha nascido em Portugal e que seja portuguesa.”

Em termos globais, e em 2016, Portugal assistiu ao aumento de 2,3% da população estrangeira residente, face ao ano anterior. Uma inversão da tendência que se verificava a desde 2010. A comunidade francesa foi a que registou o maior aumento, superior a 33%.

Segundo o relatório este crescimento, e para lá da crise dos refugiados, deve-se ao facto de Portugal ser um país considerado seguro e com vantagens fiscais para residentes não habituais.

Ainda assim, a maior comunidade estrangeira em Portugal continua a ser a oriunda do Brasil.

Também os pedidos de obtenção de nacionalidade portuguesa cresceram, entre 2015 e 2016, mais 4,5%.

Em 2016 verificou-se, igualmente, um aumento da expulsão de cidadãos estrangeiros de território português, 3,3%. No total 375 cidadãos foram obrigados a abandonar Portugal.