Última hora

Combate duro contra as chamas

Mais uma noite de combate sem cessar dos quase 1700 bombeiros apoiados por mais de 500 viaturas e meios aéreos nos cinco principais fogos ativos em Portugal

Em leitura:

Combate duro contra as chamas

Tamanho do texto Aa Aa

Um inferno de consome floresta, corta estradas e coloca povoações em sério risco. Foi mais uma noite de combate sem cessar dos quase 1700 bombeiros apoiados por mais de 500 viaturas e meios aéreos nos cinco principais fogos ativos em Portugal.

O mais preocupante é o incêndio da sertã que se alastrou para os concelhos de Mação e de Proença-a-Nova. Só aqui são mais de mil os operacionais que tentam debelar as chamas. As autoridades esperavam que as condições climatéricas noturnas mais favoráveis ajudassem a controlar os fogos.

Desde o início do ano os incêndios já consumiram mais de 75 mil hectares no país, para já o pior registo em 10 anos. A contribuir para o número negro está o incêndio de Pedrógão Grande, que vitimou 64 pessoas, cujos nomes aparecem numa lista que, obrigada a dissipar dúvidas, a procuradoria-geral publicou na terça-feira.