Última hora

Seul reforça sistema antimíssil

Em resposta ao lançamento de mais um míssil pro Pyongyang, o governo de Seul decidiu instalar mais quatro unidades do sistema antimíssil THAAD

Em leitura:

Seul reforça sistema antimíssil

Tamanho do texto Aa Aa

O governo do Japão acusa a Coreia do Norte de ter lançado um míssil balístico. O míssil terá atingido a zona económica exclusiva japonesa às 11h42 de Tóquio (15h42 de Lisboa) depois de 45 minutos de voo. Trata-se de um um míssil balístico intercontinental, o segundo no espaço de um mês, segundo o Pentágono.

Washington e Seul evocaram “opções de resposta militar”, a União Europeia condenou a atitude de Pyongyang, enquanto o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, apelou a medidas de pressão por parte de toda a comunidade internacional sobre Pyongyang.

“Enquanto a Coreia do Norte continuar estas provocações, os Estados Unidos, a Coreia do Sul, a China, a Rússia e toda a comunidade internacional devem cooperar de perto e aplicar pressão adicional”, disse Abe.

A notícia surge no mesmo dia em que Tóquio se associou à decisão de Washington de impor novas sanções contra Pyongyang. O governo japonês congelou bens e ativos de cinco empresas e de nove pessoas com ligações à Coreia do Norte.

Na Coreia do Sul, a provocação do Estado vizinho voltou a mobilizar apelos a uma resposta forte. O presidente Moon Jae-in convocou uma reunião de urgência do comité de segurança nacional e no sábado foi anunciada a decisão de instalar mais quatro unidades do sistema norte-americano antimíssil THAAD (Terminal de Defesa Aérea para Grandes Altitudes).

“Mais uma vez, instamos a Coreia do Norte a despertar da ilusão vã de desenvolver um programa nuclear e mísseis e apelamos a que, em vez disso, opte por um novo rumo de diálogo”, disse Moon Jae-in.