Última hora

Em leitura:

Trump está dececionado com a China e explica porquê no Twitter


EUA

Trump está dececionado com a China e explica porquê no Twitter

Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos, diz que a China não está a pressionar Pyongyang e que está dececionado com Pequim no que ao programa nuclear da Coreia do Norte diz respeito.

Trump criticou antigos chefes de estado norte-americanos porque estes teriam deixado que a China lucrasse milhões e milhões de dólares em comércio com os Estados Unidos, enquanto Pequim “nunca fez nada por Wasghinton”.




O presidente dos EUA avisou, por outro lado, que “a situação iria mudar.”

A posição do presidente Trump, dada a conhecer na rede social Twitter, surge depois do segundo teste com um míssil balístico intercontinental da parte da Coreia do Norte.




A Coreia do Norte diz que o sucesso de mais um lançamento constitui um aviso sério a Washington, já que o Hwasong 14 poderia chegar à cidade californiana de Los Angeles.

Um primeiro teste com o mesmo tipo de míssil foi levado a cabo no início do mês.

Proposta chinesa

A China propôs à Coreia do Norte um congelamento dos programas de mísseis balísticos e de armas nucleares no início deste ano.

Em troca, a Coreia do Sul e os Estados Unidos fariam uma pausa nos exercícios militares conjuntos, que os norte-coreanos encaram como uma ameaça.

Mas Pyongyang decidiu continuar com os testes, para preocupação da Coreia do Sul e do Japão, que falam numa ameaça direta.

Pequim é visto na região como o único aliado da Coreia do Norte, mantendo boas relações comerciais com Pyongyang, para desagrado dos Estados Unidos.

Washington deseja que a China impeça o acesso da parte da Coreia do Norte a moeda estrangeira, de forma a isolar de forma mais eficaz a economia do país.