Última hora

Em leitura:

Mercados asiáticos resistem à crise na Península da Coreia


China

Mercados asiáticos resistem à crise na Península da Coreia

Com Reuters e Lusa

Os mercados Asiáticos não se deixaram intimidar pelo ambiente tenso na região depois do lançamento do míssil norte-coreano. Em Tóquio, o índice Nikkei cedeu apenas 0,17%, enquanto os principais índices de Shangai e Hong Kong encerraram no verde.

Entretanto, o Governo chinês rebateu as críticas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, relativamente às relações comerciais e políticas entre Pequim e Pyongyang.




Trump disse que a China era grande beneficiada na relação entre Washington e Pequim e que tinha lucrado milhões de dólares, sem nunca oferecer nada em troca, sobretudo no que à Coreia do Norte diz respeito.

Qian Keming, vice-ministro chinês para o Comércio, pediu depois aos Estados Unidos que não misturassem dois temas diferentes:

“Acreditamos que os problemas relacionados com a Coreia do Norte e o comércio entre China e Estados Unidos são temas completamente diferentes que não se relacionam de forma alguma e que não podem ser debatidos no mesmo assunto, disse Qian Keming, durante uma conferência de imprensa.

Bom desempenho económico da China no primeiro semestre

A China deseja continuar com o bom desempenho económico. No último trimestre, a economia chinesa cresceu 6,9%.

O setor manufatureiro, essencial no tecido económico nacional, registou, no mês passado, 51,4 pontos, o que indica uma tendência para o crescimento.