Última hora

Em leitura:

Batumi: Jamiroquai tira o chapéu ao Black Sea Jazz Festival


Cult

Batumi: Jamiroquai tira o chapéu ao Black Sea Jazz Festival

A 11ª edição do Black Sea Jazz Festival aconteceu, como a tradição exige, a poucos metros das praias de Batumi, a terceira cidade da Geórgia e a capital de Ajara.
 
O cartaz contou com De La Soul, Cory Henry e The Apostles e a principal atração: Jamiroquai. Entrámos na atmosfera do Festival ao lado de um dos fundadores, Kakhi Kandelaki – a sua família trouxe o jazz para a Geórgia quando era proibido: “foi uma das repúblicas socialistas da União Soviética e o jazz foi muito perigoso, era perigoso ouvir e comprar LPs. O meu pai tornou-se diretor geral da editora Melodya, era a única na União Soviética. Não sei como, mas ele fez um festival em 1978, foi um dos primeiros Festivais da União Soviética”.

“Quando começamos, havia apenas 200, 300 pessoas, mas os músicos eram muito bons, como Tania Maria, Marcus Miller, começamos com bons nomes e agora temos 20-25 mil pessoas a participar no evento”, diz Kakhi Kandelaki.

Os ensaios de Cory Henry & The Funk Apostoles desvendaram um pouco da performance que abriu o Festival, com várias canções do novo álbum que vai ser lançado em setembro. “Este novo disco é sobre o amor. Sobre os prós e contras de um relacionamento. As pessoas que procuram amor, pessoas que estiveram apaixonadas, que ficaram com o coração partido identificaram-se com as músicas que fazemos, porque são todas muito verdadeiras”, explica Cory Henry.

A jornada musical de Cory Henry começou em Brooklyn aos dois anos. Era uma criança prodígio, estreou-se no Apollo Theatre aos seis anos.

“Mudámos lentamente do jazz para a música mais leve que se enquadra melhor no ambiente, a idade dos nossos visitantes também diminuiu, o que nos permitiu trazer músicos mais dinâmicos, o que também fez aumentar o número de visitantes significativamente”, conclui Giorgi Kereselidze, Diretor, Eastern Promotions.

A banda mais aguardada no Black Sea Jazz Festival foi Jamiroquai (Festival de Jazz do Mar Negro), com o vocalista Jay Kay e o novo álbum Automaton.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Mick Jagger critica Brexit e era Trump em duas novas canções

Cult

Mick Jagger critica Brexit e era Trump em duas novas canções