Última hora

Em leitura:

Estreia de "cervejoduto" e heavy metal animam Wacken 2017


Cult

Estreia de "cervejoduto" e heavy metal animam Wacken 2017

Começou quarta-feira e prolonga-se até às primeiras horas da madrugada deste domingo mais uma edição do maior festival de Heavy Metal do mundo. Este ano, com um “pipeline” de cerveja instalado no recinto para reduzir o tráfego automóvel e tornar o evento mais amigo do planeta.

Entre os destaques, este ano, no cartaz do Wacken estão os norte-americanos Megadeth, Alice Cooper e Marylin Manson, os irmãos brasileiros Max e Igor Cavalera, recordando o álbum “Roots” dos Sepultura, e os finlandeses Apocalyptica, celebrando os 20 anos de “Plays Metallica by Four Cellos, o álbum de estreia com versões do maior grupo de metal do planeta.

Como habitual, foi a banda dos bombeiros voluntários de Wacken a abrir os concertos, numa edição onde também participam Henry Rollins, Marylin Manson, Napalm Death, Kreator, Paradise Lost, Status Quo, Clawfinger, Turbonegro ou UK Subs entre as mais de 150 atuações programadas. Algumas podem ser vistas em direto na página oficial deste festival alemão.


A edição deste ano marca também a estreia de um “cervejoduto” com sete quilómetros e capacidade movimentar mais de 400 mil litros do popular “sumo de cevada” para hidratar, por assim dizer, os festivaleiros. A média de consumo de cerveja na Alemanha é de 3,1 litros por pessoa, no Festival de Wacken é de 5,1 litros.

Fundado em 1990, o Festival de Wacken cresceu até se tornar na meca do heavy metal e respetivos “afluentes” como o Black Metal, o Trash Metal, o Speed Metal ou até o Punk Hard Core. O evento atrai todos os anos à pequena cidade de Wacken, no norte da Alemanha, mais de 70 mil “headbangers” de todo o mundo e mais uma vez está esgotado há quase um ano.

Com os bilhetes de cada edição a serem colocados à venda imediatamente no final da edição anterior, os ingressos para o Wacken 2017 “voarem” por completo em apenas 23 horas.


Nesta edição não há projetos portugueses no cartaz, mas os Moonspell são um dos recorrentes nomes nos cartazes do Wacken, por onde passaram em 2012.



Escolhas do editor

Artigo seguinte
Batumi: Jamiroquai tira o chapéu ao Black Sea Jazz Festival

Cult

Batumi: Jamiroquai tira o chapéu ao Black Sea Jazz Festival