Última hora

Em leitura:

A transferência de Neymar para o PSG traduzida em milhões


Mundo

A transferência de Neymar para o PSG traduzida em milhões

A UEFA vai analisar os detalhes da iminente transferência de Neymar do Barcelona para o Paris Saint Germain, mas rejeia antecipar as eventuais infrações ao “fair play” financeiro reclamadas pela Liga espanhola.

O equilíbrio financeiro imposto este ano aos clubes europeus este ano permite a cada emblema investir apenas mais 30 milhões de euros do que os lucros gerados.


O PSG teve no ano passado lucros de pouco mais de 80 milhões de euros. Só a iminente contratação de Neymar por 222 milhões de euros representa bem mais do dobro, mas até final da janela de transferências, no final de agosto, o PSG poderá ainda vender alguma das suas estrelas como Cavani ou Di Maria e equilibrar as respetivas contas com as exigências da UEFA.

Isto apesar de o clube parisiense, cujo diretor desportivo é agora o português ex-FC Porto Antero Henrique, ser detido por uma multimilionária empresa sediada no Qatar, um Estado que, curiosamente, está a ser alvo de um isolamento territorial, político e económico por quatro países árabes vizinhos, por alegado apoio a grupos terroristas.

À margem das polémicas, o ministro francês das contas públicas, Gerald Dermanin, enalteceu aos microfones da rádio France Inter a eventualidade de Neymar passar a pagar impostos em França e não noutro país estrangeiro.


Em Paris, estima-se que Neymar vá receber, nas próximas cinco temporadas de ligação ao PSG, 30 milhões de euros anuais só de salário, a que se irão somar os patrocínios e a publicidade. De acordo com a revista Forbes, em 2016 o futebolista brasileiro de 25 anos terá recebido uma cifra a rondar os mesmos 30 milhões de euros, mas englobando salários e patrocínios.

Na expectativa de também ganhar mais algum dinheiro com Neymar está o clube onde o jogador se formou.

O Santos recebeu em 2013 cerca de 18 milhões de euros num polémico negócio inicialmente anunciado pelo Barça como tendo valido 57 milhões de euros, envolvendo também uma empresa detida pelo pai do jogador. Mais tarde, pressionado por denúncias do Real Madrid e de alguns meios de comunicação espanhóis, o clube catalão iria rever o valor do negócio para mais de 88 milhões de euros.

O emblema de Vila Belmiro, conhecido como “Peixe”, espera receber agora pelo menos mais nove milhões de euros através do mecanismo de solidariedade da FIFA para os clubes formadores. A este valor, o Santos espera ainda juntar outros 4,5 milhões de euros do Barcelona para compensar um segundo jogo particular contratualizado em 2013, por alturas da transferência do jogador para a Catalunha.

Aeroportos europeus com atrasos nas verificações de segurança

Economia

Aeroportos europeus com atrasos nas verificações de segurança