This content is not available in your region

Países vizinhos da Venezuela denunciam a instauração de "uma ditadura"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Países vizinhos da Venezuela denunciam a instauração de "uma ditadura"

<p>Doze dos 17 países americanos reúnidos em Lima, no Perú, esta terça-feira, declararam não reconhecer a Assembleia Constituinte que assumiu funções na Venezuela.</p> <p>Num comunicado lido pelo ministro peruano dos Negócios Estrangeiros, Ricardo Luna, os chefes da diplomacia dos 12 afirmaram:</p> <p>“O que se passou na Venzuela com o estabelecimento da Assembleia Constituinte é uma quebra definitiva do que tínhamos até agora, quer dizer, o derrube das instituições democráticas que vem acontecendo nos últimos tempos culminou e o que temos hoje na Venezuela é uma ditadura”.</p> <p>A <a href="http://www.infobae.com/america/venezuela/2017/08/07/el-parlamento-de-venezuela-denuncio-un-asalto-de-miembros-de-la-constituyente-y-militares-al-salon-de-las-sesiones-legislativas/">Assembleia Constituinte</a> tomou esta terça-feira, pela força, a sede do parlamento, com o recurso à Guarda Nacional Bolívariana. Os deputados do parlamento eleito em 2015 foram impedidos de entrar no edifício.</p> <p>Um dos deputados da oposição, José Guerra, conta que foram apanhados de surpresa:</p> <p>“Um contigente da guarda nacional, juntamente com a presidente da assembleia constituinte tomou de assalto – literalmente falando -, a sede do capitólio federal, onde funciona o parlamento venezuelano. De manhã eles tinham dito que iam sediar a assembleia constituinte no Teatro Municipal de Caracas mas, aparentemente, não cumpriram a palavra e tomaram o Capitólio Federal, que é onde funciona a assembleia nacional eleita pelos venezuelanos no ano 2015. Eleita por 14 milhões de venezuelanos e que é a instituição mais legítima da Venezuela”.</p> <p>O objetivo dos membros da constituinte é redigir uma nova contituição, refundar o Estado venezuelano. A resolução que lhes atribui plenos poderes foi votada ontem, mas a oposição não tenciona baixar os braços, como relata o correspondente da euronews em Caracas, Eduardo Salazar Uribe:</p> <p>“A oposição venezuelana anunciou que a tomada do edifício legislativo por parte da assembleia constituinte é outra violação clara das leis venezuelanas. Os deputados da oposição dizem que se lhes fôr negado o direito a sentar-se no parlamento, vão sentar-se nas ruas”.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="fr"><p lang="pt" dir="ltr">Legislativo declara desobediência à Assembleia Constituinte na Venezuela <a href="https://t.co/SU7738cDhP">https://t.co/SU7738cDhP</a> <a href="https://t.co/hCldCbrqmi">pic.twitter.com/hCldCbrqmi</a></p>— Folha de S.Paulo (@folha) <a href="https://twitter.com/folha/status/894792791783505920">8 août 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>