Última hora

Londres2017: Norueguês surpreende e conquista ouro nos 400m barreiras

Karsten Warholm, de apenas 21 anos, superou o campeão olímpico e nem queria acreditar quando cortou a meta; Phyllis Francis triunfou nos 400m femininos.

Em leitura:

Londres2017: Norueguês surpreende e conquista ouro nos 400m barreiras

Tamanho do texto Aa Aa

Na véspera da final de Triplo Salto de Nélson Évora, o destaque dos Mundiais de Atletismo de Londres, no Reino Unido, foi Karsten Warholm.

Depois de não ter ido além das meias-finais há um ano nos jogos Olímpicos, desta vez o norueguês, de apenas 21 anos, superou o campeão olímpico, o norte-americano Kerron Clement, e conquistou o ouro para uma nação pouco habituada ao sucesso numa prova de velocidade como os 400 metros barreiras.


Clement foi ainda batido pelo turco ex-cubano Yasmani Copello e teve de se conformar com a prata.

O novo campeão olímpico pareceu chocado com o triunfo nos primeiros segundos após cortar a meta, mas depois deixou-se levar pela alegria. “Fiquei muito feliz, claro. A minha grande missão no futuro será apenas a de me manter humilde e trabalhar duro. Nesta prova, senti ter uma oportunidade e tentei agarrá-la. Correu bem”, resumiu Warholm, campeão mundial de 400 metros barreiras com o tempo de 48,35 segundos.


Na final dos 400 metros planos femininos, a campeã olímpica Shauna Miller-Uibo parecia ter o triunfo controlado, mas a atleta das Bahamas sucumbiu já perto da meta e nem o bronze conseguiu.

A campeã mundial Allyson Felix, dos Estados Unidos, foi surpreendida, deixou fugir o título para a compatriota Phyllis Francis e até a prata, que foi parar ao peito de Salwa Eid Naser.

Profissional há apenas três anos, a nova campeã diz ser “fantástica” a sensação de ter agora esta medalha de ouro. “Estou orgulhosa”, assumiu Phyllis Francis, de 25 anos, que cumpriu os 400 metros em 49,92 segundos, a nova melhor marca pessoal.


Na final feminina do lançamento do peso, triunfo para a chinesa Lijiao Gong, com um lançamento à quinta tentativa de 19,94 metros. A húngara Anita Márton foi segundo, a 45 centímetros, e a norte-americana Michelle Carter, terceira, com 19,14 metros.

Entre os portugueses, David Lima superou-se nos 200 metros, mas ficou-se pelo 13.° melhor tempo e falha a final desta quinta-feira, numa noite em que o português Nélson Évora vai voltar a saltar pelo título mundial do Triplo Salto já conquistado há 10 anos, em Osaka, no Japão.