This content is not available in your region

Pyongyang classifica Trump como alguém "desprovido de razão"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Pyongyang classifica Trump como alguém "desprovido de razão"

<p>A Coreia do Norte disse que o Presidente norte-americano, Donald Trump, é “desprovido de razão” e que só funciona com a força.</p> <p>“Não é possível um diálogo sensato com alguém desprovido de razão e só a força absoluta funciona com ele”, afirmou o general Kim Rak Gyom, citado pela agência de notícias <span class="caps">KCNA</span>.</p> <p>Esta posição surge horas depois de Donald Trump ter feito um aviso ao líder norte-coreano Kim Jong-Un, afirmando que os Estados Unidos irão responder a Pyongyang com “fogo e fúria” depois de terem sido divulgados novos desenvolvimentos da capacidade militar da Coreia do Norte.</p> <p>Entretanto, o secretário-geral das Nações Unidas, <strong>António Guterres</strong>, está preocupado com “o aumento da retórica de confrontação” em torno da Coreia do Norte e apela à redução do clima de tensão.<br /> <br /> <strong>Ameaças de Trump no Twitter</strong><br /> <br /> Numa nova mensagem na rede social de mensagens <strong>Twitter</strong>, Trump assegurou que o arsenal nuclear dos Estados Unidos “é o mais poderoso e forte de sempre”.</p> <p>O contexto da crise com a <strong>Coreia do Norte</strong> ganhou contornos mais graves após a publicação, também na terça-feira, de novas informações que dão conta dos progressos militares norte-coreanos.</p> <p>Um relatório classificado elaborado por peritos dos serviços de inteligência do <strong>Departamento de Defesa</strong> indicou que a <strong>Coreia do Norte</strong> terá conseguido diminuir suficientemente a dimensão de uma bomba nuclear de forma a conseguir incorporar o engenho num dos seus mísseis intercontinentais.</p> <p><strong>Pyongyang</strong> testou engenhos nucleares e conseguiu realizar dois lançamentos de <strong>mísseis balísticos</strong> intercontinentais. A capacidade dos norte-coreanos de colocarem uma bomba nuclear num desses engenhos era uma dúvida que ainda permanecia.</p>