Última hora

Londres2017: Turco sucede a Usain Bolt como campeão nos 200 metros

Ramil Gulyev nasceu no Azerbaijão e só há três anos começou a representar a Turquia, passando de recordista europeu júnior a campeão do mundo no ocaso do "relâmpago" jamaicano.

Em leitura:

Londres2017: Turco sucede a Usain Bolt como campeão nos 200 metros

Tamanho do texto Aa Aa

Um turco natural do Azerbaijão surpreendeu esta quinta-feira na final dos 200 metros nos Mundiais Atletismo de Londres. Ramil Gulyev é, para já, o sucessor de Usain Bolt, pelo menos como campeão do mundo da distância.

Gulyev cumpriu os 200 metros em 20,09 segundos, batendo por dois centésimos o sul-africano Wayde van Niekerk e Jareem Richards, de Trinidad e Tobago. Foi a primeira medalha de ouro da Turquia em mundiais de atletismo.

Ainda recordista europeu júnior nos 200 metros, o agora turco (começou por representar o Azerbaijão e foi autorizado a representar a Turquia a partir de 2014) contou ter “olhado para o ecrã” após o triunfo para “verificar o nome de quem tinha sido o primeiro”. “Quando vi que era o meu nome fiquei muito feliz. Acreditava que podia chegar às medalhas, mas não esperava ser primeiro”, confessou.



Na final feminina dos 400 metros barreiras, triunfo para Kori Carter. A americana cortou a meta em 53,07 segundos, deixou a mais de quatro décimas a compatriota Dalilah Muhammad, com a jamaicana Ristananna Tracey a fechar o pódio com a melhor marca pessoal (53,74).

Após o triunfo, Carter disse sentir-se “fantástica”. “Todos os sacrifícios feitos desde há anos deram finalmente resultados, por isso estou no topo do mundo neste momento”, assumiu.

Na final do triplo salto, medalha de ouro para Christian Taylor. O americano tinha o recorde do mundo do britânico Jonathan Edwards no horizonte, mas desta feita nem chegou aos 18 metros, ficou-se pelos 17,68 e pelo terceiro triunfo em Mundiais de Atletismo, o segundo consecutivo.

“Honestamente, tenho vindo a perseguir aquele número mágico de 18,29 metros (n.: recorde do mundo). Procuro sempre dar um bom espetáculo”, resumiu o agora tricampeão mundial de triplo salto.



Com Will Clave em segundo (17,63 metros), Nelson Évora fechou o pódio dez anos depois de ter ganho o ouro em Osaca2007 e repetiu o bronze de há dois anos, em Pequim. O português saltou 17,19 metros logo à segunda tentativa.