This content is not available in your region

Triplicam os migrantes a chegar a Espanha

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Triplicam os migrantes a chegar a Espanha

<p>Espanha pode ultrapassar a Grécia nas chegadas de migrantes por mar, em 2017.</p> <p>Segundo a Organização Internacional para as Migrações, o grosso do fluxo migratório continua a passar por Itália mas Espanha está a tornar-se cada vez mais numa opção.</p> <p>Exemplo disso, esta semana dezenas de migrantes desembarcaram numa praia repleta de turistas perto de Cádiz, na Andaluzia, após terem atravessado o estreito de Gibraltar.</p> <p>Segundo a agência da <span class="caps">ONU</span>, desde o início de janeiro, até agosto, mais de 8300 migrantes desembarcaram em Espanha, três vezes mais do que os números registados no mesmo período de 2016.</p> <p>Desde o início de 2017, mais de 96 mil chegaram a Itália e mais de 11 mil migrantes conseguiram alcançar as costas da Grécia.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Breaking: 116,692 <a href="https://twitter.com/hashtag/migrants?src=hash">#migrants</a> & <a href="https://twitter.com/hashtag/refugees?src=hash">#refugees</a> arrived by sea to Europe. 2,405 dead/missing ➡️ <a href="https://t.co/NrTqBYkT2C">https://t.co/NrTqBYkT2C</a> <a href="https://t.co/1DLFbPvzmW">pic.twitter.com/1DLFbPvzmW</a></p>— <span class="caps">IOM</span> (@UNmigration) <a href="https://twitter.com/UNmigration/status/894822185541488640">August 8, 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>De acordo com Inigo Villa, um responsável da Cruz Vermelha espanhola, este “não é um fenómeno novo”. Villa refere que está mais mediatizado por causa do conflito na Síria mas “é preciso recordar que Espanha, em 2006, recebeu 40 mil pessoas.”</p> <p>A Organização Internacional para as Migrações justifica o novo cenário com o facto de a maioria destes migrantes serem provenientes da África Ocidental e “uma parte deste fluxo passar por Marrocos” devido à instabilidade política que se vive na Líbia.</p>