Última hora

Em leitura:

Raila Odinga apela à greve como protesto contra presidente


Quénia

Raila Odinga apela à greve como protesto contra presidente

Raila Odinga, o candidato derrotado nas eleições presidenciais do Quénia, apelou a uma greve geral na segunda-feira, como forma de protesto contra a reeleição de Uhuru Kenyatta.

Odinga contesta os resultados e denunciou aquilo que classificou de “farsa eleitoral”.


A violência eclodiu em alguns redutos da oposição após a proclamação da vitória do atual chefe de Estado. 16 pessoas morreram entre sexta-feira e sábado à noite.

Raila Odinga apela à manifestação pacífica dos apoiantes.

“Vamos mostrar como é que esta eleição foi roubada. A partir de amanhã, todos os cidadãos devem tomar o poder constitucionalmente, para que quando os chamarmos à ação pacífica, não fiquem para trás,”, apela um membro da coligação de Odinga, James Orengo.

A Comissão Eleitoral do Quénia confirmou a vitória de Uhuru Kenyatta, no escrutínio presidencial de 8 de agosto, com 54,27% dos votos. Raila Odinga não foi além dos 44,74%.

O Governo do Quénia já avisou que não tolerará protestos violentos.

Londres quer “período de transição limitado” após saída da UE

Reino Unido

Londres quer “período de transição limitado” após saída da UE