Última hora

Em leitura:

Supremacistas brancos "vão embora e tenham vergonha"


EUA

Supremacistas brancos "vão embora e tenham vergonha"

As autoridades do estado norte-americano da Virgínia apelaram à “unidade” e pediram aos supremacistas brancos e nazis que saiam do território.

O apelo surge depois de uma mulher, de 32 anos, ter morrido e cerca de 20 pessoas terem ficado feridas quando um jovem atirou, intencionalmente, um veículo contra um grupo de pessoas que protestava contra os extremistas, em Charlottesville.

O alegado condutor, James Fields, de 20 anos e oriundo do Estado do Ohio, foi detido e acusado de vários crimes, incluindo de homicídio em segundo grau.

“Tenho uma mensagem para todos os supremacistas brancos e nazis que vieram a Charlottesville. A nossa mensagem é clara e simples: “Vão para casa. Não vos queremos nesta grande comunidade. Tenham vergonha. O ódio a a retórica que assistimos e que se intensificaram nos últimos meses estão a dividir esta grande nação. Temos de trabalhar juntos. Por duas vezes disse ao presidente que estamos dispostos a trabalhar com ele se pudermos trabalhar juntos para unir as pessoas. Mas, para isso, tinha de parar o discurso do ódio, parar a retórica neste país. Temos de unir as pessoas”, afirma o Governador da Virgínia, o democrata Terry McAuliffe.

A Casa Branca comunicou que Donald Trump condena “todas as formas de violência, intolerância e de ódio” e “todos os grupos extremistas”, incluindo os movimentos associados à supremacia branca.

Várias cidades norte-americanas uniram-se numa vigília em protesto contra a violência desencadeada no sábado, após uma manifestação da extrema-direita, em Charlottesville.


Saiba mais: