This content is not available in your region

Jogo de nervos entre Kim Jong-un e Donald Trump

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
Jogo de nervos entre Kim Jong-un e Donald Trump

<p>A guerra fria entre Coreia do Norte e os Estados Unidos prossegue. As últimas notícias oriundas de Pyongyang dão conta de uma alegada inspeção por parte de Kim Jong-Un, na segunda-feira, ao respetivo comando militar, onde terá sido atualizado dos planos para um eventual ataque à base militar americana de Guam, território ultramarino americano no Pacífico.</p> <p>O líder da Coreia do Norte terá decidido, para já, suspender o disparo dos mísseis contra aquele território americano à espera que o homólogo americano Donald Trump pare com as provocações militares.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">North Korea’s Kim Jong Un says will watch U.S. bit longer before acting: <span class="caps">KCNA</span> <a href="https://t.co/y8IupXTaDs">https://t.co/y8IupXTaDs</a> <a href="https://t.co/B7bfZS7Keh">pic.twitter.com/B7bfZS7Keh</a></p>— Reuters Top News (@Reuters) <a href="https://twitter.com/Reuters/status/897231383583698944">14 de agosto de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>/p></p> <p>A decisão de Kim Jong-un surge numa altura em que a Coreia do Sul e o Japão pressionam Washington por uma solução pacífica no conflito com Pyongyang. O presidente sul-coreano procura evitar a todo o custo uma nova guerra na península coreana.</p> <p>Em digressão pela América Latina, o vice-presidente dos Estados Unidos garantiu que os Estados Unidos estão “a dedicar todos os recursos e a energia do Presidente no esforço de resolver de forma pacífica este confronto com a Coreia do Norte”, mas, avisa Mike Pence, “como disse o Presidente, todas as opções estão na mesa.”</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">What is it like being in the gunsight of Kim Jong Un? <a href="https://twitter.com/hashtag/CBSNOA?src=hash">#CBSNOA</a> visits U.S. bases in South Korea and Guam to find out <a href="https://t.co/jfbHihArA6">https://t.co/jfbHihArA6</a> <a href="https://t.co/9kK9ZFzVJb">pic.twitter.com/9kK9ZFzVJb</a></p>— <span class="caps">CBS</span> News (@CBSNews) <a href="https://twitter.com/CBSNews/status/897278141588287488">15 de agosto de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p></p> <p>A guerra fria entre Washington e Pyongyang agravou-se após Trump ameaçar quinta-feira responder aos testes norte-coreanos de lançamento de mísseis balísticos de médio-longo alcance com uma demonstração de “fogo, fúria e poder jamais vistos”. </p> <p>Na contrarresposta, a Coreia do Norte ameaçou no sábado lançar um míssil sobre a base americana de Guam, no Pacífico, localizada a uma distância de cerca de 3500 km do continente asiático.</p>