Última hora

Em leitura:

Estilo francês: O visual "Au Naturel" que dá algum trabalho


Cult

Estilo francês: O visual "Au Naturel" que dá algum trabalho

“Existem apenas dois lugares do mundo onde se pode ser feliz: em casa e em Paris.” – Ernest Hemingway

A beleza vem do interior – e do interior do estojo de maquilhagem. O cheiro a perfume vem na brisa francesa e o brilho dos olhos vem da cidade luz. A beleza quer-se natural, por isso é que os alquimistas misturam plantas em frasquinhos e flores em vidrinhos e oferecem autênticos bouquets às caixinhas de toilette. O museu do Louvre diz-nos para não termos medo de envelhecer. A Madame Torre Eiffel usa brilho nas pálpebras; nunca se esquece de endireitar os ferros dos ombros e de fechar os olhos para ver a beleza que vem de dentro. A beleza parisiense cabe nos estojos de maquilhagem de todas as nacionalidades, porque até as mais famosas parisenses vieram do estrangeiro. A beleza francesa, escrita com baton vermelho, nas calçadas da língua portuguesa.

Muitas vezes, as parisienses vêm de outro lugar. A beleza parisiense não nasce em Paris. Renasce em Paris.

Romy Schneider

A atriz austríaca que deu vida ao papel da princesa Sissi descobriu os prazeres de Paris nos anos 60 e 70. Transformou-se num modelo de charme e de feminilidade . Conquistou o coração dos franceses e o de Alain Delon – o galã do cinema francês.


Kerastase Aura Botanica

Marie Antoinette

Marie Antoinette era austríaca. Foi para corte francesa para se tornar rainha ao casar com Luís XVI aos 14 anos. Uma figura com um forte sentido estético e uma das primeiras a mudar o sentido da moda e a viver de acordo com o seu imaginário.

A post shared by Fondation P (@fondation.p) on


Josephine Baker

Josephine Baker nasceu em St. Louis, no Missouri, mas adotou a nacionalidade francesa e viveu dentro da alma de todo um país. Chegou mesmo a juntar-se à Resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial. Transformou-se numa das maiores estrelas parisienses no cabaret Folies Bergère.


Jane Birkin

A atriz e cantora britânica Jane Birkin. Tornou-se a mais parisiense de todas as outras estrangeiras.
Deu voz ao hit de 1969 “Je t’aime”… Moi non plus” ao lado do incontornável Serge Gainsbourg.
Criou um mandamento de estilo: jeans, um trench e ténis.

A post shared by Jane Birkin (@jane.birkin) on



French Style


Maison Michel Paris


Brigitte Bardot

É impossível falar sobre a cultura francesa sem discutir a moda. O mundo fala e aplaude o estilo francês e o visual despreocupado – que dá algum trabalho a conseguir. O estilo francês usa termos como chic, couture ou je ne sais quoi e todos se perguntam como é que as mulheres francesas, independentemente da idade, conseguem ter um glamour intemporal e sem esforço. Mas qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, pode conseguir vestir este glamour. Palavra de Bardot.

1. Uma mala/carteira de qualidade
2. Skinny jeans e calças pelo tornozelo
3. Bailarinas
4. Vestido preto versátil
5. Blazer preto com bom corte
6. Cachecóis
7. Óculos de sol oversized
8. T-shirt simples de ótima qualidade
9. Camisola oversized
10. Trenchcoat


Guerlain Website

Em Paris é tudo preto no preto. Preto no branco e, de vez em quando, quando alguém tem vontade de mudar – é tudo preto no cinzento.

1. Construir um guarda-roupa intemporal com algumas peças essenciais
2. Optar pelo estilo e não pelas tendências
3. Criar um visual de assinatura e mantê-lo
4. Foco no bom corte
5. Preferência por cores neutras (preto, branco, bege, cinzento, azul marinho)
6. Investir em sapatos de boa qualidade
7. Não sacrificar o conforto para o estilo e vice-versa
8. Menos é mais
9. Atenção ao detalhe
10. Está tudo na atitude!

As mulheres francesas orgulham-se da boa postura, confiança e sabem que estão elegantes sem esforço. Tudo isto cria o tal “je ne sais quoi” que deixa o resto do mundo intrigado.

www.patriciatavares.pt
Seguir no Instagram

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Espiar e ser espiado no muro de Berlim

Cult

Espiar e ser espiado no muro de Berlim