Última hora

Roteiro do terrorismo: Nice, Estocolmo, Berlim, Paris, Londres... e Barcelona.

Em leitura:

Roteiro do terrorismo: Nice, Estocolmo, Berlim, Paris, Londres... e Barcelona.

Tamanho do texto Aa Aa

Foi numa zona de Barcelona muito apetecida por turistas e locais que esta quinta-feira um homem conduziu uma carrinha branca no sentido da multidão veraneante pouco antes das cinco da tarde locais, em ziguezague durante cerca de 600 metros. Treze mortos estão confirmados, estima-se em mais de uma centena os feridos resultantes do ataque terrorista.

Uma detenção foi feita e divulgada pelo principal sindicato policial espanhol. A documentação corresponde a Driss Oukabir, residente legal em Espanha, nascido em 1989 em Marrocos. Estava referenciado pela polícia e já havia estado preso.
Contudo, o jornal La Vanguardia adianta que alguém se terá apresentado numa esquadra policial alegando ser Driss Oukabir e que lhe haviam roubado a documentação.

A agência noticiosa do auto-proclamado Estado Islâmico já reivindicou o ataque, dando-o como resposta ao apelo da organização terrorista para atingir Estados da coligação a operar na Síria e no Iraque.

Há ainda um segundo detido, sem identidade divulgada e um terceiro suspeito foi abatido pela polícia, depois de ter atropelado dois elementos policiais num ponto de controlo com um Ford Focus. Foi posteriormente descartada a ligação deste indivíduo ao ataque. Aparentemente, os atacantes teriam alugado duas viaturas: uma para cometer o atentado, a outra para fugir, encontrada em Vic, no nordeste da Catalunha.

Não é ainda claro quantos suspeitos estão envolvidos no ataque.

O presidente espanhol, Mariano Rajoy, estará em Barcelona para coordenar a resposta nacional ao ataque, tendo declarado que os terroristas nunca derrotarão um povo unido que ama a liberdade face à barbárie. A ele junta-se a vice-primeira-ministra Soraya Saenz de Santamaría.

Espanha encontra-se no nível quatro, de cinco, de alerta antiterrorista desde final de junho de 2015, o que pressupõe aumento de vigilância das infraestruturas consideradas críticas, como aeroportos, estações centrais nucleares e eléctricas.

Na zona do ataque, as imediações foram evacuadas, e as estações de metro encerradas, tal como as de comboios. Foram instalados controlos policiais nas principais vias de acesso a Barcelona.

No último ano em países europeus, houve oito ataques terroristas com recurso a veículos conduzidos sobre multidões. Nice, Estocolmo, Berlim, Paris, Londres e agora Barcelona, são as cidades que os sofreram.