Última hora

Homenagem às vítimas em Barcelona

Homenagem às vítimas do ataque em Barcelona

Em leitura:

Homenagem às vítimas em Barcelona

Tamanho do texto Aa Aa

Homenagem às vítimas em Barcelona. Depois do ataque de quinta-feira, que matou 14 pessoas e feriu 130, aquelas que sobreviveram procuram agora retomar a normalidade. Para algumas delas, a experiência que viveram vem colocar em questão muita coisa.

“Este dia marcará um antes e um depois na minha vida. No fundo, nunca imaginamos que nos possam acontecer estas coisas e de repente damos connosco no olho do ciclone. Provavelmente esta experiência vai pesar na minha vida, vou tentar lidar com isto o melhor possível. Para já, aquelas imagens não me abandonam”, disse um sobrevivente, Ignacio Sanabria.

Há que voltar à normalidade, disse um habitante da cidade catalã, Jordi Giró: “O que temos a fazer é trazer de volta a vida às ruas, devolver à cidade a normalidade. Esta é uma cidade internacional e deve permanecer assim, devemos afastar o medo.”

O vice-chanceler e ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Sigmar Gabriel, esteve no local do atentado para render homenagem às vítimas.

“Agora, obviamente, a prioridade é ajudar os familiares e as vítimas e, ao mesmo tempo, desenvolver a cooperação na Europa, como tem sido feito nos últimos meses. Infelizmente, não estaremos nunca inteiramente protegidos de assassinos cobardes”, disse o ministro alemão.

No ataque do passeio das Ramblas morreram duas portuguesas, neta e avó, respetivamente de 20 e 74 anos de idade.

Há cidadãos de mais de 30 países entre as vítimas dos atentados em Barcelona e Cambrils.