Última hora

Bruxelas fala em ato terrorista "mas isolado"

O homem que atacou com arma branca um grupo de militares em Bruxelas terá gritado "Allá é grande".

Em leitura:

Bruxelas fala em ato terrorista "mas isolado"

Tamanho do texto Aa Aa

Um homem atacou um grupo de soldados com uma arma branca no centro da cidade de Bruxelas, tendo sido depois morto por disparos da parte dos militares.

O atacante terá gritado, por duas vezes, “Allá é grande”, em língua árabe, durante o ataque. Um dos militares ficou ligeiramente ferido.




A Justiça Federal belga considera o ataque como um “ato terrorista”, que teve lugar quando se multiplicam ações de natureza jiadista um pouco por todo o continente europeu.

Homem de “origem somali”*

Segundo os media belgas, o atacante seria um homem, com cerca de 30 anos, de origem somali.

O ataque teve lugar por volta das 20 horas locais, numa das principais artérias de Bruxelas, perto da Grande Place, zona considerada sensível no contexto dos atentados jiadistas.

Um duplo atentado suicida, reivindicado pelos jiadistas do autoproclamado Estado Islâmico ou Daesh, deixou 32 mortos e mais de 150 feridos em Bruxelas, em março do ano passado. Foi o pior ataque terrorista em solo belga.




Na mesma noite, a polícia britânica afirma ter interpelado um homem que atacou e feriu um grupo de agentes perto do palácio de Buckingham, em Londres.

As autoridades do Reino Unido não indicaram se consideravam o incidente como um ato de natureza terrorista.