Última hora

Ataque à Coreia? Trump responde: "Vamos ver"

O presidente norte-americano mandou reunir as chefias militares para discutir o seguimento a dar à questão da Coreia do Norte.

Em leitura:

Ataque à Coreia? Trump responde: "Vamos ver"

Tamanho do texto Aa Aa

Depois da bomba norte-coreana, as críticas de Trump à Coreia… do Sul. Para o presidente norte-americano, os aliados sul-coreanos estão a ser demasiado brandos com os vizinhos do norte. Perguntado pelos jornalistas sobre se iria atacar a Coreia do Norte, Trump respondeu “vamos ver”.

Os recados de Trump dirigem-se também à China e foram expressos através do twitter. No tweet publicado este domingo, diz que a Coreia do Norte é um embaraço para a China, que tenta ajudar mas pouco está a conseguir. Ainda através da rede social, Trump anunciou uma reunião com as chefias militares para discutir o tema da Coreia do Norte.






Em Londres, o governo britânico está bastante mais cauteloso que Trump e descarta uma intervenção militar, até pelo perigo que isso representa para a Coreia do Sul: “A nossa opinião é que nenhuma das opções militares é boa. Como sabem, a distância entre a Coreia do Norte e Seul é muito pequena. Um ataque poderia pulverizar uma boa parte da população sul-coreana, mesmo com armas convencionais. Por isso, não é fácil fazer ameaças, muito menos levá-las à prática”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson.

Este aumentar da tensão nuclear está também a fazer reagir os velhos parceiros da Europa Continental. O presidente francês Emmanuel Macron e a chanceler alemã Angela Merkel conversaram ao telefone e prometeram endurecer as sanções da União Europeia contra Pyongyang. Num comunicado, o governo alemão diz que as provocações da Coreia do Norte atingiram uma nova dimensão.