Última hora

Japão domina Campeonato do Mundo de Judo em Budapeste

A última jornada do Campeonato do Mundo de Judo terminou em grande.

Em leitura:

Japão domina Campeonato do Mundo de Judo em Budapeste

Tamanho do texto Aa Aa

A última jornada do Campeonato do Mundo de Judo terminou em grande. Budapeste ficará para a história como o lugar onde ocorreu, pela primeira vez, uma competição de equipas mistas. Seis lutadores por equipa para as 22 equipas participantes. Uma modalidade atrativa que fará parte dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

O Japão era o favorito à conquista do ouro e não desapontou. Os japoneses subiram ao lugar cimeiro do pódio da László Papp Budapest Sports Arena depois de uma vitória contundente na final por seis a zero frente ao Brasil. França e a Coreia do Sul ocuparam o terceiro lugar do pódio.

Com este triunfo, os japoneses partem de Budapeste como líderes incontestáveis, com um total de 13 medalhas, oito de ouro.

Os nossos últimos convidados VIP são presidentes, um da Federação Internacional de Judo, Marius Vizer, e o outro do Comité Olímpico Internacional, Thomas Bach.

“Foi um grande campeonato do mundo, principalmente porque regra geral, depois dos Jogos Olímpicos, há novas gerações de judocas. Desta vez, a nova geração provou que estamos no caminho certo para conseguir uma das melhores gerações rumo aos Jogos Olímpicos de Tóquio. Mais de 50% dos anteriores campeões olímpicos e do mundo perderam nesta competição. A nova geração já está aqui.
Budapeste fez um grande trabalho. Quero agradecer à Hungria por todo o apoio. Tivemos espetadores magníficos, bons parceiros e uma excelente atmosfera para o judo. O nível técnico foi um dos melhores. No que diz respeito às novas regras, julgo que mostrámos que tomámos a decisão certa. Vamos ajustar algumas regras antes do final do ano e em janeiro começaremos com a versão final que vamos levar aos Jogos Olímpicos de Tóquio”, disse Marius Vizer, o presidente da Federação Internacional de Judo.

O presidente do Comité Olímpico Internacional, Thomas Bach, acrescenta: “O judo tem um papel muito importante no programa olímpico. Julgo que agora, que estamos em contagem decrescente para os Jogos Olímpicos de Tóquio, a pátria mãe do judo, ainda mais. O judo desempenhará nos próximos Jogos Olímpicos um papel ainda mais importante do que o que teve nos Jogos Olímpicos até ao momento. É muito importante e posso falar com experiência porque ganhei a minha medalha de ouro numa prova por equipas. Mas é ainda mais importante que se celebre neste formato misto porque assim podemos conseguir que os atletas individuais obtenham o espírito de equipa e ao mesmo tempo podemos fazer muito para promover o desporto feminino e lutar pela igualdade de género tanto nos Jogos Olímpicos como nos campeonatos do mundo.”

O melhor momento do 7º e último dia de competição é o “ippon” do japonês Takeshi Ojitani, da categoria de mais de 90 quilos. Impôs-se nas semifinais contra o rival sul coreano Jong-Hoon Won.