This content is not available in your region

Coreia do Sul responde com fogo real à Coreia do Norte

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Coreia do Sul responde com fogo real à Coreia do Norte

<p>Manobras militares navais com fogo real.</p> <p>É a reação da Coreia do Sul à “provocação”, como lhe chamou, da Coreia do Norte: <a href="http://pt.euronews.com/2017/09/03/pyongyang-reclama-sucesso-total-no-teste-de-uma-bomba-h">Pyongyang anunciou ter testado uma bomba H no domingo passado</a>, quando insistiu na concretização do sexto teste nuclear, e <a href="http://pt.euronews.com/2017/09/04/peninsula-coreia-ensaios-nucleares-reuniao-urgencia-conselho-seguranca-eua">causou a indignação internacional</a>. Em julho, a Coreia do Norte havia testado dois mísseis intercontinentais, que abrangem um alcance de 10 000 quilómetros onde os Estados Unidos se encaixam.</p> <p>Depois de ter começado por manobras militares terrestres na segunda-feira, Seul mobiliza agora no mar do Japão uma fragata de 2 500 toneladas, um navio patrulha de 1000 toneladas e vários navios de alta velocidade. Mísseis guiados foram já lançados, segundo o Ministério da Defesa de Seul, e manobras de batalha nos próximos 4 dias estão previstas, com mais navios, caças F-15K e outras aeronaves logísticas e de vigilância.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">UPDATE</span>: <a href="https://twitter.com/hashtag/SouthKorea?src=hash">#SouthKorea</a> says US agreement to scrap warhead weight limit will help it respond to <a href="https://twitter.com/hashtag/NorthKorea?src=hash">#NorthKorea</a>’s threats <a href="https://t.co/Ut0m2emRIE">https://t.co/Ut0m2emRIE</a></p>— The Straits Times (@STcom) <a href="https://twitter.com/STcom/status/904924934543106048">5 de setembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Isto enquanto a imprensa sul-coreana noticia que Pyongyang posiciona o que parece ser um missíl balístico intercontinental na sua costa oeste, movimentado apenas durante a noite para contornar deteção e em trânsito desde segunda-feira. O Ministério da Defesa norte-coreano afirmou a prontidão de intervenções com mísseis inter-continentais, mas não confirmou o posicionamento de um destes projéteis.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">South Korea is finding, as I have told them, that their talk of appeasement with North Korea will not work, they only understand one thing!</p>— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) <a href="https://twitter.com/realDonaldTrump/status/904309527381716992">3 de setembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p><a href="https://www.publico.pt/2017/09/04/mundo/noticia/coreia-do-sul-entre-a-bomba-do-norte-e-a-pressao-de-trump-1784361">Parece ser a opção de Seul por uma resposta incontornavelmente militar</a> e eminentemente bélica, numa altura em os Estados Unidos apontam há algum tempo, através do posicionamento do Presidente Donald Trump, para a improdutividade das tentativas e “intenções de diálogo manifestadas no passado pelo Presidente sul-coreano:http://pt.euronews.com/2017/05/10/moon-jae-in-e-presidente-da-coreia-do-sul-e-quer-ir-ate-a-do-norte, Moon Jae-in, face à escalada de tensão com a Coreia do Norte. <br /> Os E.U.A. mantêm uma posição semelhante face à China: se numa primeira instância apelaram à intervenção de Pequim junto a Pyongyang para apaziguar a escalada de tensão, depressa os <em>tweets</em> de Trump indiciaram <a href="http://pt.euronews.com/2017/07/30/estados-unidos-trump-avisa-china-dececionado-falta-de-pressao-sobre-coreia-norte">nada esperar da via diplomática</a> que a China continua a trilhar. A não assunção de hostilidade da China face à Coreia do Norte advém da proximidade histórica dos países, mas não exclui o nervosismo causado em Pequim com a <a href="http://pt.euronews.com/2017/05/02/coreia-do-sul-sistema-de-defesa-antimissil-thaad-ja-esta-operacional">instalação do sistema <span class="caps">THAAD</span> norte-americano em solo sul-coreano</a> e subsequentes exercícios militares conjuntos no território.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">China has lodged solemn representations to the <span class="caps">DPRK</span> embassy in Beijing over its sixth nuclear test: <span class="caps">MOFA</span> <a href="https://t.co/RzZZCzo9WD">https://t.co/RzZZCzo9WD</a> <a href="https://t.co/xMWks8SCge">pic.twitter.com/xMWks8SCge</a></p>— People’s Daily,China (@PDChina) <a href="https://twitter.com/PDChina/status/904732060576710658">4 de setembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>