This content is not available in your region

Polícia brasileira desmantela rede internacional de tráfico

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Polícia brasileira desmantela rede internacional de tráfico

<p>A polícia federal brasileira começou nesta manhã de segunda-feira a fazer as detenções e buscas que se evidenciaram necessárias depois de uma investigação, iniciada em agosto de 2016 por indicação e suspeição de autoridades norte-americanas, que levou ao desmantelamento de uma rede de tráfico de droga a partir do porto de Santos, no litoral sul do Brasil. </p> <p>Foram 77 detenções, duas das quais em flagrante, em São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Brasília e Minas Gerais e que incluiram aquele que é considerado o líder de uma rede de tráfico de droga que se julga responsável pelo envio de mais de seis toneladas de cocaína para a Europa no último ano. </p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="pt" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/OpBrabo?src=hash">#OpBrabo</a>: cerca de 820 policiais federais cumprem 190 mandados de busca e apreensão, 120 de prisão preventiva e 7 de prisão temporária.</p>— Polícia Federal (@policiafederal) <a href="https://twitter.com/policiafederal/status/904685545078566912">September 4, 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Uma operação com o total de 190 mandados de busca e 127 de prisão e que ainda prossegue. O esquema envolvia membros do Primeiro Comando da Capital (<span class="caps">PCC</span>), uma fação criminosa brasileira e cidadãos sérvios, fixados no Brasil e que terão feito a ponte com a Europa. O papel dos elementos do <span class="caps">PCC</span> era fazer chegar ao Brasil a droga, neste caso cocaína, vinda da Bolívia, Colômbia e Perú e tentar fazê-la entrar no porto de Santos. Quando acondicionada em contentores, o papel dos sérvios seria então o de assegurar a receção e distribuição da droga. Há 28 funcionários alfandegários, estivadores ou empresas ligadas ao porto de Santos entre os suspeitos.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="pt" dir="ltr">PF combate o tráfico internacional de drogas <a href="https://t.co/tQVdsK3SN6">https://t.co/tQVdsK3SN6</a> <a href="https://t.co/E6xmbxLe6q">pic.twitter.com/E6xmbxLe6q</a></p>— PF em São Paulo (@pfsaopaulo) <a href="https://twitter.com/pfsaopaulo/status/904787664032985088">September 4, 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>São mais de 8 centenas de polícias envolvidos numa investigação que ao longo de um ano identificou os suspeitos e o modo de atuação, através de várias apreensões de cocaína, uma das quais feita na Rússia. O inquérito prosseguirá agora, depois das detenções, para averiguar como o dinheiro da venda da mercadoria na Europa voltava a entrar em território brasileiro.</p>