Última hora

Putin diz que novas sanções contra a Coreia do Norte serão "inúteis e ineficazes"

O Presidente russo salientou também que Moscovo condena "as manobras militares" levadas a cabo por aquele regime.

Em leitura:

Putin diz que novas sanções contra a Coreia do Norte serão "inúteis e ineficazes"

Tamanho do texto Aa Aa

No rescaldo do teste “bem-sucedido” com o lançamento de uma bomba de hidrogénio, por parte do regime de Pyongyang, o Presidente russo disse que a aplicação de novas sanções contra a Coreia do Norte será “inútil e ineficaz.”

À margem da cimeira dos países do BRICS, que decorreu na China, Vladimir Putin acrescentou que a “criação de uma histeria militar não tem sentido” e pode, na prática, conduzir a “uma catástrofe planetária.”

“A Rússia condena os testes norte-coreanos porque são provocadores, mas a utilização de sanções mais duras neste caso é inútil e ineficaz”, disse Putin.

Já a chanceler alemã, Angela Merkel, referiu- durante um discurso na última sessão da legislatura na câmara baixa do Parlamento antes das eleições gerais de 24 de setembro – que a Europa se deve fazer ouvir em matéria do programa nuclear norte-coreano e insistiu na via de uma “solução pacífica e diplomática.”

“O facto da Coreia do Norte se encontrar a uma certa distância de nós não nos deveria dissuadir de defender uma solução diplomática nesta situação. A Europa tem uma voz importante no mundo e deve usar essa voz neste contexto”, referiu a chanceler alemã.

Quer a Rússia quer a China, um aliado diplomático da Coreia do Norte, apelaram ao diálogo com Pyongyang e propuseram o congelamento das manobras militares conjuntas dos Estados Unidos e da Coreia do Sul.

Esta segunda-feira, o governo chinês alertou que as sanções contra a Coreia do Norte não resolverão a crise na península coreana se não forem abertas outras vias para reduzir a tensão.