Última hora

Irma atinge a Florida

Segundo os "media" locais, há registo de pelo menos três óbitos, todos na sequência de acidentes de viação, devido à intempérie

Em leitura:

Irma atinge a Florida

Tamanho do texto Aa Aa

O Irma chegou à Florida, nos Estados Unidos da América, e provocou pelo menos três mortes.

O olho do furacão, agora de categoria 4, numa escala de 5, chegou à região das ilhas Keys com rajadas de vento superiores a 200 km/h no arquipélago, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

Segundo os media locais, há registo de pelo menos três óbitos, todos na sequência de acidentes de viação, devido à intempérie

As autoridades norte-americanas mostram-se apreensivas pois estimam que ondas superiores a quatro metros de altura atinjam as regiões costeiras.

O Centro Nacional de Furacões lançou um alerta dirigido a quem que se encontra na região, apelando à população que se mantenha dentro de casa e longe das janelas.

O Serviço Meteorológico lançou um aviso de furacão e um aviso de tempestade tropical que atravessa quase toda a Florida, a Geórgia e a Carolina do Sul, uma área onde vivem mais de 20 milhões de pessoas.

A chegada do Furacão Irma, considerado como a pior tempestade registada no Oceano Atlântico, obrigou a uma das maiores operações de evacuação da história dos Estados Unidos.
Mais de seis milhões e trezentas mil pessoas foram aconselhadas a sair de suas casas e a procurarem refúgio em regiões fora do percurso previsto.

Mais de um milhão de edifícios estão sem eletricidade na Florida.


O furacão Irma, que surgiu no final de agosto na costa africana e chegou quarta-feira às Antilhas, superou o recorde do tufão Haiyan de 2013, nas Filipinas, ao gerar ventos de 295 km/h durante mais de 33 horas.

O furacão Irma já deixou 25 mortos na sua passagem pelas ilhas das Caraíbas: 10 na parte francesa e duas na área holandesa de Saint Martin, 4 nas Ilhas Virgens americanas, 6 nas Ilhas Virgens britânicas e no arquipélago de Anguilla, duas em Porto Rico e uma na Barbuda.