Última hora

Saakashvili "bloqueado" em comboio na Polónia

Antigo Presidente da Geórgia tentava entrar na Ucrânia para recuperar a nacionalidade, retirada pelo chefe de Estado, Petro Poroshenko.

Em leitura:

Saakashvili "bloqueado" em comboio na Polónia

Tamanho do texto Aa Aa

O comboio ucraniano no qual o antigo Presidente da Geórgia, Mikheil Saakashvili, embarcou, este domingo, acompanhado da mulher e do filho, foi bloqueado pela polícia e não chegou a sair da estação de Przemyśl, no sudeste da Polónia.

A decisão foi tomada a pedido da polícia ucraniana.

Apoiado, entre outros pela antiga primeira-ministra Yulia Timoshenko, Saakashvili tentava entrar na Ucrânia para recuperar a nacionalidade, retirada pelo chefe de Estado, Petro Poroshenko.

Saakashvili disse ser “ridículo tomar todas as pessoas do comboio como reféns.” Os assessores entraram em contacto com as autoridades polacas para denunciar que a polícia da Ucrânia não tem o direito de intervir na Polónia, um país da União Europeia (UE).

“Atuam como atuava a antiga União Soviética quando queria livrar-se de um dissidente: esperavam até que saísse do país e depois roubavam a nacionalidade. Os ucranianos, Petro Poroshenko, agem de maneira igual à era soviética, como o KGB costumava fazer. Julgo que já não vivemos no período soviético. Temos o nosso próprio país com regras e leis”, denunciou o antigo Presidente da Geórgia.

No sábado, véspera da tentativa de entrada do também antigo governador de Odessa na Ucrânia, centenas de apoiantes de Saakashvili concentraram-se na fronteira entre a Polónia e a Ucrânia.

A cidadania de Saakashvilui foi revogada, alegadamente, devido ao “fornecimento consciente de informações falsas.”

O antigo Presidente da Geórgia também é alvo de uma pedido de extradição enviada por Tbilissi a Kiev.