Última hora

Última hora

China admite abandonar carros movidos a combustíveis fósseis

A China admite seguir o exemplo de países como a Noruega, Reino Unido e França no que toca ao mercado automóvel. Os carros convencionais podem vir a ser substituídos pelos elétricos em nome do ambiente e das oportunidades de negócio

Em leitura:

China admite abandonar carros movidos a combustíveis fósseis

Tamanho do texto Aa Aa

A China quer acabar com a venda e produção de carros a gasolina e a gasóleo. O anúncio foi feito pelo vice-ministro da Indústria e da Informação Tecnológica, mas para já não há qualquer calendário definido.

“Algumas nações definiram um calendário para acabar com a produção convencional de carros. Nesse sentido, o Ministério da Indústria e da Informação Tecnológica, também, ativou a pesquisa para cooperar com autoridades de relevo. Esta decisão vai certamente introduzir mudanças profundas no meio ambiente e na força da indústria automóvel chinesa” refere Xin Guobin.

Países como a França e a Índia já anunciaram que pretendem acabar com a venda e produção de veículos movidos a combustíveis fósseis. Em Paris, a venda poderá ser uma realidade em 2040, 10 anos mais tarde do que em Nova Deli.

A China quer continuar a dominar o mercado automóvel mundial, mas desta vez com os carros elétricos. A aposta em energias renováveis e a situação económica do país estão a atrair investidores e marcar pontos frente a países comos os Estados Unidos.