Última hora

Enfermeiros em greve

Convocada pelo Sindicado Independente dos Profissionais de Enfermagem e pelo Sindicato dos Enfermeiros, a greve teve início às 00:00 horas desta segunda-feira e termina às 24 horas de sexta.

Em leitura:

Enfermeiros em greve

Tamanho do texto Aa Aa

Os enfermeiros portugueses trocaram os utensílios médicos pelos cartazes com palavras de ordem.

Convocada pelo Sindicado Independente dos Profissionais de Enfermagem e pelo Sindicato dos Enfermeiros, a greve teve início às 00:00 horas desta segunda-feira e termina às 24 horas de sexta.Os enfermeiros estão contra a recusa do Ministério da Saúde em aceitar a proposta de atualização gradual dos salários e de integração da categoria de especialista na carreira.

Os sindicatos revelam que no primeiro dia de paragem a adesão ronda os 85% em todo o país e denunciam atropelos à lei. Algumas unidades hospitalares estão a marcar faltas injustificadas aos enfermeiros em greve, seguindo as orientações da tutela que alega que a paragem foi marcada de forma irregular.


“Estão a marcar falta injustificada aos colegas que trabalham aqui e que estão a fazer greve. Isto não pode acontecer. Eu quero aconselhar, não só aos ministros mas aos enfermeiros diretores, que estudem o Código do Trabalho e estudem a Constituição da República antes de fazerem tropelias como essa”, afirma Emanuel Boieiro, do Sindicato dos Enfermeiros.

Na sexta-feira, o ministro da Saúde acusou os enfermeiros especialistas de estarem a atropelarem a lei, a ética e a moral.

Em entrevista a uma televisão, Adalberto Campos Fernandes afirmou que é impossível em três meses fazer aumentos salariais de 100 ou 200% e considerou que está a ser feita uma chantagem à margem da lei.


Com: Lusa