Última hora

O chefe de Estado francês enfrentou, esta terça-feira, a primeira jornada de greves e de manifestações contra a reforma do Código de Trabalho. Em Paris, os protestos terminaram em confrontos com a polícia.
Emmanuel Macron já fez saber que não pretende ceder aos protestos dos “cínicos e dos extremistas” garantindo que a reforma legislativa que prevê, por exemplo, o plafonamento das indemnizações em casos de contencioso e a redução dos prazos para atribuição de compensações salariais aos trabalhadores vai mesmo avançar.
Macron acredita que a nova proposta legislativa confere mais flexibilidade às empresas, encorajando a empregabilidade numa altura em que se verifica uma elevada taxa de desemprego em França.
O desemprego atinge 9,5 por cento da população ativa francesa, contra uma média de 7,8 por cento a nível europeu.

Mais vídeos No Comment