Última hora

Líder de Myanmar ausente da Assembleia-Geral das Nações Unidas

No decorrer de uma crise humanitária que já deslocou mais de 300 mil muçulmanos Rohingya de Myanmar para o Bangladesh, Aung San Suu Kyi não estar'a presente na AG da ONU

Em leitura:

Líder de Myanmar ausente da Assembleia-Geral das Nações Unidas

Tamanho do texto Aa Aa

A líder política de Myanmar, Aung San Suu Kyi, vai estar ausente da Assembleia Geral das Nações Unidas.

O anúncio chega no mesmo dia em que uma outra reunião, a do Conselho de Segurança, a pedido da Suécia e do Reino Unido vai discutir a violência que levou mais de 300 mil muçulmanos Rohingya a fugir do país, em direcção ao Bangladesh.


O estado birmanês de Rahkine mergulhou numa crise na última semana de Agosto, depois da reação militar a 30 ataques de postos policiais por parte de militantes Rohingya.


O mais alto titular das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, qualificou a situação como “um manual exemplar de limpeza étnica”, numa reação “claramente desproporcionada e sem respeito pelos princípios básicos do direito internacional”.

Vamos ser claros aqui, isto não é sobre ter outra reunião, seja pública ou privada. É sobre o Conselho de Segurança se unir e enviar uma mensagem muito pública ao governo de Myanmar: tem que pôr um fim a esta violência continuada”, declarou esta quarta-feira, Sherin Tadros, da Amnistia Internacional.


A Indonésia, país maioritariamente muçulmano, enviou ajuda humanitária para o Bangladesh, ao passo que a China se posiciona diplomaticamente mais próxima de Myanmar, defendendo o governo de Aung San Suu Kyi.