Última hora

O adeus à sonda Cassini

Segundo a NASA, a sonda enviou imagens até ao último momento antes de perder contacto com a Terra.

Em leitura:

O adeus à sonda Cassini

Tamanho do texto Aa Aa

Após 20 anos a vaguear pelo espaço, 13 dos quais na órbita de Saturno, terminou esta sexta-feira a missão da sonda Cassini que mergulhou na atmosfera do planeta.

Segundo a NASA, a sonda enviou imagens até ao último momento antes de perder contacto com a Terra.


Aquando do lançamento em outubro de 1997, a sonda transportava o módulo de aterragem, Huygens. A sonda Cassini alcançou a órbita de Saturno em 2004. Mais tarde, o módulo Huygens separar-se-ia dirigindo-se para Titã, uma das luas de Saturno.

A missão Cassini abriu as portas à exploração dos anéis de Saturno assim como do respetivo campo magnético. Para além de Saturno, a sonda também recolheu informações sobre as luas Titã e Encelado, esta última sendo apontada por cientistas como um local que pode potencialmente albergar vida.

A missão Cassini foi um projeto de colaboração entre a NASA, a agência Espacial Europeia e agência espacial italiana.


“A grande questão é saber o que vai acontecer a seguir ao enorme sucesso da missão Cassini. Durante a próxima década, tanto a NASA como a ESA vão enviar sondas às luas geladas de Jupiter. Quanto a Saturno, existe uma enorme inclinação por parte da comunidade científica para regressar a Encelado e a Titã, para explorar mais a fundo e tentar encontrar sinais de vida. Há muito trabalho pela frente”, afirma Jeremy Wilks, jornalista da euronews especialista em questões do Espaço.