Última hora

Última hora

Trump critica "má-gestão" e "burocracia" da ONU

Em leitura:

Trump critica "má-gestão" e "burocracia" da ONU

Tamanho do texto Aa Aa

Donald Trump repreende as Nações Unidas antes de discursar pela primeira vez, amanhã, na Assembleia-Geral da organização em Nova Iorque.

O presidente norte-americano exigiu mudanças profundas durante uma conferência destinada a apoiar as reformas impulsionadas pelo novo Secretário-Geral da ONU.

Trump não tinha poupado críticas à gestão da instituição, durante a campanha eleitoral, defendendo uma redução do financiamento dos Estados Unidos – o maior patrocinador da ONU – que poderia pôr em causa algumas missões humanitárias, nomeadamente a ajuda aos refugiados.

“Nos últimos anos a burocracia e a má-gestão impediram que as Nações Unidas alcançassem o seu potencial máximo. O orçamento da ONU aumentou em 120% e o seu pessoal mais do que duplicou desde 2000 e não vemos resultados à altura dos investimentos dos Estados Unidos”, afirmou o presidente norte-americano.

António Guterres afirmou partilhar das preocupações do presidente norte-americano, assegurando que a organização tem que concentrar-se mais, “nas pessoas do que nos processos”.

“Para servir o povo e apoiar as pessoas que nos apoiam temos que ser ágeis e efetivos, flexíveis e eficientes”, reconheceu Guterres.

Desde a eleição de Donald Trump que Washington, que contribui com 22% do orçamento anual de 5.5 mil milhões de dólares da ONU, defende cortes nas despesas da organização, nomeadamente ao nível das missões de paz.

Os 120 países representados na reunião, da qual esteve ausente a China e a Rússia, comprometeram-se a, “reduzir a duplicação de mandatos, a redundância e sobreposição, incluindo entre alguns órgãos da ONU”, segundo a declaração final do encontro.