Última hora

Última hora

Crise na Frente Nacional. Vice-presidente bate com a porta.

Florian Philippot era considerado ela imprensa francesa como o mais influente conselheiro da Marine Le Pen .

Em leitura:

Crise na Frente Nacional. Vice-presidente bate com a porta.

Tamanho do texto Aa Aa

Florian Philippot, considerado pelos media franceses como o braço direito de Marine Le Pen, anunciou, durante uma entrevista à televisão pública francesa, que estava de saída do partido Frente Nacional (extrema-direita, nacionalistas.)

Philippot anunciou a decisão depois de ter sido sancionado por Marine Le Pen por um alegado conflito de interesses entre as funções que desempenha na Frente Nacional e o facto de ser presidente da associação “Os Patriotas.”




Philippot diz que o alegado conflito de interesses referido por Le Pen mais não foi do que um argumento para retirar-lhe poder, uma vez que lhe foram retiradas todas as responsabilidades no seio do partido.

O agora antigo vice-presidente diz também que a líder da FN queria também esconder o que definiu como “o retrocesso” que poderia sofrer o partido depois da anunciada refundação.

“Agora parece que sou vicepresidente de nada. Não gosto de fazer figuras ridículas e não gosto de não fazer nada. Por isso, claro que abandono a Frente Nacional”, disse, durante a entrevista à France 2.

Para Marine Le Pen, antigo número dois assume “papel de vítima”

Marine Le Pen regiu rapidamente à decisão de Philippot. Para a líder da Frente Nacional, este optou por um “processo de vitimização”. Le Pen disse que Philippot não foi capaz de assumir a necessidade de debate para refundar o partido.

Marine Le Pen indicou também que ela era a pessoa mais adequada para apresentar-se como candidata da Frente Nacional às eleições presidenciais de 2022.




Depois da derrota nas presidenciais, em maio deste ano, a Frente Nacional atravessa uma crise interna.

Muitos dizem que a imagem do partido, que muitos franceses identificam com o pai de Marine Le Pen, Jean-Marie Le Pen, terá sido motivo para que votarem noutro candidato.

A mudança do nome e do logotipo do partido é uma possibilidade regularmente referida pela imprensa francesa.

Uma eminência parda da Frente Nacional

Florian Philippot tem 36 anos e aderiu à Frente Nacional em 2011, tendo sido responsável pela campanha presidencial de Marine Le Pen.

Posteriormente, foi nomeado porta-voz da coligação de partidos nacionalistas para as eleições legislativas de 2012, a Rassemblement Bleu Marine (RBM).

Em julho de 2012, assumiu a função de vice-presidente da Frente Nacional, assim como de responsável pela estratégia de comunicação do partido. Uma missão que fez de Philippot a nova cara do partido de extrema-direita, presente nos media nacionais de forma regular.

Depois das derrotas nas legislativas de 2012 e nas municipais de 2014, foi eleito deputado para o Parlamento Europeu.

É ainda membro do Concelho Regional da região administrativa de Grand Est (resultante da fusão entre a Alsácia, Lorraine e Champagne-Ardennes).

Com AFP