Última hora

Última hora

Discurso de Theresa May sobre "Brexit" divide opiniões

Emmanuel Macron afirmou que as palavras da primeira-ministra britânica mostram alguma vontade mas não deixou de sublinhar que há questões que têm de ser resolvidas.

Em leitura:

Discurso de Theresa May sobre "Brexit" divide opiniões

Tamanho do texto Aa Aa

O discurso de Theresa May, sobre o Brexit agradou ao negociador-chefe da União Europeia.

Num comunicado, Michel Barnier saudou o “espírito construtivo” das palavras da primeira-ministra do Reino Unido.

O diplomata afirmou que May “mostra uma vontade de avançar” e sublinhou a necessidade de se “chegar a um acordo no outono de 2018 sobre as condições de uma saída ordenada do Reino Unido da União Europeia.”.


Também o presidente francês também se pronunciou sobre o discurso de Theresa May. Emmanuel Macron afirmou que as palavras da primeira-ministra britânica mostram alguma vontade mas não deixou de sublinhar que há questões que têm de ser resolvidas antes de se chegar a qualquer acordo.

“Temos um método muito claro e antes de avançar, gostaríamos de esclarecer as regras dos cidadãos da União Europeia, os termos financeiros da saída e a questão da Irlanda. Se esses três pontos não estiverem esclarecidos, não podemos avançar com o resto”, avisa.


Quem não gostou das palavras de Theresa foi o antigo líder do partido UKIP. Nigel Farage recorda que os britânicos votaram pela saída do bloco europeu e não num acordo de transição de dois anos, como o proposto pela primeira-ministra. “A visão dela é que saiamos da União Europeia mas que o façamos apenas no papel. Continuamos a fazer parte de todas as atuais estruturas. Simplesmente, o que fazemos é recriar o status quo. Votei para que possamos ser competitivos, para sermos globais, livres das leis europeias. Ela não mostra nenhum desejo ou nenhuma visão para ser o tipo de líder que precisamos para nos transformar numa nação comercial global”.


O líder do Partido Trabalhista criticou, também, a primeira-ministra conservadora. Jeremy Corbyn lamentou que Theresa May continue a usar como moeda de troca, nas negociações sobre o “Brexit”, os cidadãos da União Europeia que residem no Reino Unido.