Última hora

Autárquicas 2017: Abstenção a descer, Medina e Moreira reconduzidos (projeções)

Assunção Cristas (CDS-PP) não conseguiu destronar o PS em Lisboa, mas terá ulktrapassado Teresa Leal Coelho (PSD); Isaltino Morais deverá recuperar a liderança em Oeiras

Em leitura:

Autárquicas 2017: Abstenção a descer, Medina e Moreira reconduzidos (projeções)

Tamanho do texto Aa Aa

A provável descida da abstenção e as vitórias do socialista Fernando Medina, em Lisboa, e do independente Rui Moreira, no Porto, destacaram-se nas primeiras projeções das eleições autárquicas realizadas este domingo em Portugal, avançadas pelas televisões uma hora após o fecho das urnas no Continente e na Madeira (nos Açores fechou uma hora depois — 19 horas locais, 20 horas em Lisboa).

A corrida ao executivo da capital é o que reúne sempre maior expectativa, ainda mais este ano com a candidatura de Assunção Cristas, a líder do CDS-PP. Não terá sido suficiente. Fernando Medina terá sido reconduzido no cargo alfacinha com mais de 40 por cento dos votos e a candidata do PSD, Teresa Leal Coelho, terá ficado em terceiro, ultrapassada pela antiga ministra do Mar e da Agricultura.


No Porto, Rui Moreira também terá sido reconduzido, avançavam as primeiras projeções.

Destaque ainda para Oeiras, onde a projeção da TVI deu a vitória a Isaltino Morais contra o seu antigo “número 2”, Paulo Vistas. O antigo autarca social-democrata deverá assim recuperar a autarquia após cumprir dois anos de prisão por fraude fiscal e branqueamento de capitais.

Quanto à abstenção, depois de se ter fixado nos 47 por cento em 2013, este ano as primeiras projeções admitem um intervalo entre os 40 e os 48 por cento, o que levou logo alguns partidos a sublinharem o crescimento da participação eleitoral como um bom sinal para o país.