Última hora

Suspeitas da morte de Kim Jong Nam declaram-se inocentes

Julgamento tem lugar cerca de oito meses depois do ataque levado a cabo no aeroporto malaio de Kuala Lumpur.

Em leitura:

Suspeitas da morte de Kim Jong Nam declaram-se inocentes

Tamanho do texto Aa Aa

As duas mulheres acusadas do homicídio do irmão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, declararam-se inocentes perante o Tribunal de Shah Alam, na região metropolitana da capital malaia, Kuala Lumpur. Pyongyang nega qualquer envolvimento, mas o caso deu origem a tensões entre os Governos da Coreia do Norte e da Malásia.

Quem são as duas suspeitas?

Uma cidadã indonésia de 25 anos, Siti Aisyah, e uma cidadã vietnamita, Doan Thi Hong, de 28. Ambas são acusadas da morte de Kim Jong Nam.

Porquê o alegado homicídio de Kim Jong Nam?

O meio-irmão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, tinha pouco mais de 40 anos e vivia de relações cortadas com família. Segundo os media da região, viveria, com a mulher e o filho, em Macau. Existem suspeitas de que a sua morte se deva ao facto de representar uma ameaça para o irmão mais novo, ao poder assumir a liderança da Coreia do Norte, caso algo acontecesse ao presidente. Por outro lado, Kim Jong Nam criticou publicamente o Governo do seu país em mais do que uma ocasião.

Como terá sido levado a cabo o ataque?

O ataque, filmado por câmaras de segurança do Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, no passado mês de fevereiro, foi levado a cabo com recurso ao gás VX, produto altamente tóxico e banido pelas Nações Unidas, por ser considerado uma arma de destruição massiça. A acusação disse que as suspeitas mostraram intenção de matar a vítima ao “atacá-la pelas costas” e ao esfregar o rosto da mesma com o agente químico.

O que disseram as jovens em sua defesa?

Ambas mulheres dizem que não sabiam que estavam a cometer um homicídio e que pensavam fazer parte de uma brincadeira, organizada por um programa de televisão, e cujo o alvo seria Kim Jong Nam.

Quais poderiam ser as consequências?

O julgamento tem lugar na região de Kuala Lumpur. Ambas suspeitas poderiam ser condenadas à pena de morte, de acordo com a Justiça da Malásia.

Existem outros suspeitos?

Segundo as autoridades malaias, pelo menos outros dois suspeitos, de nacionalidade norte-coreana, são procurados. Um mandato internacional de busca e captura foi emitido pela Interpol. A acusação diz que estes terão ajudado as duas mulheres a levar a cabo o ataque.

O que vai acontecer nos próximos dias?

O processo tem lugar oito meses depois da morte de Kim Jong Nam. O tribunal deverá continuar a ouvir mais testemunhas. Até agora, foram ouvidas, entre outras, uma mulher a quem a vítima terá pedido socorro depois de ter sido pulverizado com o agente químico VX, e um médico do hospital para onde foi levado o irmão de Kim Jong Un, numa ambulância.

Com Reuters