Última hora

Autárquicas anunciam mudanças no PSD, CDU perde bastiões para PS

Fernando Medina e Rui Moreira foram reeleitos em Lisboa e no Porto, PSD sofre desastre eleitoral e comunistas perdem concelhos históricos.

Em leitura:

Autárquicas anunciam mudanças no PSD, CDU perde bastiões para PS

Tamanho do texto Aa Aa

Com Agência LUSA
Foi o melhor resultado de sempre do PS e os piores do PSD e da CDU nas eleições autárquicas, em Portugal. Com cinco concelhos ainda por apurar, os socialistas ganharam em 158 câmaras e os social-democratas conseguiram 79 presidências sozinhos e 18 em coligação.

Em Lisboa, o socialista Fernando Medina ganhou, mas perdeu a maioria absoluta. A candidatura do CDS liderada por Assunção Cristas ficou em segundo lugar, relegando Teresa Leal Coelho, do PSD, para o terceiro lugar. No Porto, o independente Rui Moreira foi eleito para um segundo mandato mas, desta vez, com maioria absoluta.

Estes resultados, os piores de sempre em eleições autárquicas para o PSD, colocam em risco a continuidade de Pedro Passos Coelho à frente do partido e podem até apressar a realização de eleições legislativas, tendo em conta a possível mudança na cúpula do PSD e a perda de força da CDU. O antigo primeiro-ministro reiterou que não se vai demitir da liderança – “nem hoje, nem amanhã, nem depois de amanhã”, nas palavras do próprio. Mantendo a posição de que não se demitirá da presidência do partido, por entender que um líder do PSD não pode sair na sequência de resultados de eleições não nacionais, Passos Coelho admitiu, contudo, que irá fazer “uma reflexão ponderada” sobre se irá ou não recandidatar-se à liderança nas diretas do início do próximo ano.

O aumento das câmaras municipais lideradas pelo PS deu-se, em boa parte, à custa de municípios conquistados à CDU (PCP-PEV).A coligação liderada pelos comunistas perdeu dez câmaras, entre elas bastiões comunistas no Alentejo (como Beja) e no distrito de Setúbal, como Alcochete, Barreiro ou Almada.

O BE voltou a não conseguir qualquer câmara, como aconteceu em 2013, e o CDS-PP aumentou para seis o número de municípios que vai liderar. As candidaturas independentes ganharam pelo menos 17 câmaras, mais quatro do que em 2013, destacando-se o regresso de Isaltino Morais à Câmara Municipal de Oeiras, depois de ter estado preso por crimes de branqueamento de capitais.

Dos 303 presidentes de câmara já eleitos, há ainda um do JPP e um do Nós, Cidadãos!. As coligações PSD/CDS-PP conquistaram 15 câmaras e dois presidentes foram eleitos por coligações PSD/CDS-PP/PPM, um por uma coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM e um por uma aliança Livre/PS.

Será que perante os resultados, o líder do PSD vai demitir-se? E será que o Governo vai continuar a ter o apoio dos comunistas, fortemente penalizados nestas eleições? Perguntas por agora sem resposta.