Última hora

Última hora

Piqué insiste no direito ao voto catalão mas recusa assumir independência

Jogador do Barcelona enfrenta conferência de imprensana seleção espanhola dominada por perguntas sobre a independência da Catalunha

Em leitura:

Piqué insiste no direito ao voto catalão mas recusa assumir independência

Tamanho do texto Aa Aa

O futebolista catalão Gerard Piqué voltou a defender o direito ao voto na Catalunha três dias depois de ter desafiado o governo espanhol, participando no controverso referendo da independência, e dois após ter sido recebido com vaias no treino da seleção de Espanha.


Determinado nos seus ideais, Piqué jogou ainda assim à defesa quando confrontado esta quarta-feira, em conferência de imprensa, com a pergunta se se considera independentista para não perder seguidores. Mas sempre defendeu o direito de um independentista catalão em poder jogar na seleção espanhola.

“Essa é a pergunta que vale milhões e obviamente não vou responder (…). A minha postura não é incongruente. Vamos ao extremo, que não é o meu caso: para mim, um independentista poderia jogar na seleção espanhola porque não existe seleção catalã e um independentista não tem nada contra a Espanha (…). Creio que Espanha e Catalunha são como o filho que chega aos 18 anos e quer sair de casa”, defendeu o jogador do Barcelona.

Gerard Piqué está integrado nos trabalhos da seleção espanhola para os jogos de sexta-feira com a Albânia, em Alicante, e três dias depois em Israel, que fecham a fase de grupos da qualificação para o Mundial de 2018. O catalão garante estar comprometido com os objetivos da Espanha. Pelo menos no que toca ao futebol.