Última hora

Última hora

Espanha de branco pelo diálogo

Quase uma semana depois do referendo sobre a independência da Catalunha, que se saldou em cerca de 900 feridos depois de forte repressão do governo de Madrid, a Espanha apela ao diálogo em vez da cisão

Em leitura:

Espanha de branco pelo diálogo

Tamanho do texto Aa Aa

A maior crise política de há décadas levou este sábado a Espanha à rua numa manifestação por uma ponte entre Madrid e Espanha.

De Madrid a Sevilha, de Valladolid a Granada ou Pamplona, milhares de pessoas apelaram ao diálogo entre a região autonómica da Catalunha e o Estado espanhol, depois de responderem em força a um apelo nascido nas redes sociais, que pedia elementos brancos alusivos ao pacifismo e ausência de bandeiras.


A Catalunha referendou a 1 de outubro a independência, sob forte repressão das forças de segurança nacionais. O balanço: cerca de 900 feridos.


Uma participante da marcha em Madrid, dizia: “Acho que o diálogo é a única solução para se fazer bem as coisas. Todos temos argumentos para todo o tipo de posição e acho que falar é a solução. Para mais, acho que não há um ódio aos catalães e acho que o devemos demonstrar daqui, de Madrid.”

O extremar de argumentos para diferentes posições levou a um confronto entre cerca de uma centena de pessoas incluídas num protesto anti-independência catalã, em lados opostos de um passeio no centro de Madrid, com um cordão policial a separar os manifestantes.


Quase uma semana depois do referendo, e com uma lista cada vez maior de empresas a tomar a decisão de se deslocalizar para fora da Catalunha, incluindo a empresa gestora das águas de Barcelona, cresce a preocupação da cisão entre os espanhóis, acompanhada da da União Europeia, reforçada pela possibilidade de uma declaração unilateral de independência na Catalunha.