Última hora

Ryanair garante à Euronews que deixará a turbulência em breve

David O'Brien, representante da empresa, disse ter a certeza de que vão recuperar os passageiros.

Em leitura:

Ryanair garante à Euronews que deixará a turbulência em breve

Tamanho do texto Aa Aa

A Ryanair quer pôr fim à turbulência. Depois de ter cancelado, de forma inesperada, mais de dois mil voos para setembro e outubro e de afetar mais de 300 mil clientes, a low cost irlandesa anunciou, no final de setembro, novos cancelamentos para o periodo de novembro a março do próximo ano.

Quase 400 mil clientes poderiam perder o voo. Ainda assim, em entrevista à Euronews, a empresa mostra-se otimista. David O’Brien disse que o importante seria “pensar nos passageiros”:

O primeiro é não pensarmos no dinheiro e focarmo-nos nas necessidades dos passageiros. Tivemos problemas com o nosso sistema de escalas e resolvemos tudo depressa”, disse O’Brien.

“Neste momento, o que importa é reconquistarmos os passageiros. Incomodámos muitas pessoas este Inverno que queremos recupera”, continuou.

Uma confiança que só se recupera com algum tempo e muito esforço. A companhia tem agora de mostrar ao viajante que conta com uma tripulação de qualidade e bem formada.

“O pessoal da Ryanair é e continuará a ser muito bem pago. Assumimos o compromisso de que os nossos pilotos seriam os pilotos dos 737 mais bem pagos”.

David O’Brien disse recordou ainda que a Ryanair funciona, há três décadas, sem greves:

“E negociámos com os nossos quadros a existência dos chamados Comités Representativos do Empregados, o que nos permitiu operar sem uma greve durante 30 anos”

“Por isso, quando perguntamos porque a Aer Lingus, a British Airways e a Lufthansa têm problemas quando a Ryanair não, a resposta é óbvia.”