Última hora

Última hora

Será Tusk um possível mediador para a Catalunha?

O executivo comunitário continua a confiar na capacidade do governo espanhol para resolver a crise na Catalunha, apesar dos apelos das autoridades catalãs e de alguns eurodeputados para que seja a entidade mediadora.

Em leitura:

Será Tusk um possível mediador para a Catalunha?

Tamanho do texto Aa Aa

O executivo comunitário continua a confiar na capacidade do governo espanhol para resolver a crise na Catalunha, apesar dos apelos das autoridades catalãs e de alguns eurodeputados para que seja a entidade mediadora.

“Confiamos nas instituições espanholas, no primeiro-ministro Rajoy, com quem o presidente Juncker está em constante contacto, e em todas as forças políticas que estão a trabalhar em soluções no âmbito da Constituição espanhola”, disse o vice-presdiente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, na conferência de imprensa ordinária, quarta-feira, em Bruxelas.

A questão da ilegalidade do referendo desde o primeiro momento continua a ser o principal argumento, algo que as autoridades catalãs consideram ser uma visão redutora.

O representante da Catalunha junto das instituições europeias,madeo Altafaj, vê agora como mais provável a intervenção de outras entidades comunitárias.

“Trata-se de política, trata-se de emoções e de sentimentos, tal como o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, disse, ontem, e com razão, trata-se de respeito. Esperemos que o governo espanhol, mais cedo ou mais tarde, ponha de lado esta posição de força, as palavras duras e, efetivamente, se empenhe e mostre vontade de resolver esta questão através da política”, disse, à euronews.

Num discurso no Comité das Regiões, em Bruxelas, terça-feira, Donald Tusk salientou ser um “forte crente no lema da União Europeia: Unidos na diversidade”.

O presidente do Conselho realçou, ainda, que sabe o que é “ser membro de uma minoria étnica e ser agredido por bastões de polícias”.