Última hora

Acordo para Governo de união nacional entre Fatah e Hamas

Espera-se que entendimento, assinado no Cairo, ponha fim a mais de 10 anos de conflitos entre as forças palestinianas.

Em leitura:

Acordo para Governo de união nacional entre Fatah e Hamas

Tamanho do texto Aa Aa

Os movimentos palestinianos Fatah e Hamas assinaram um acordo de reconciliação, numa cerimónia no Cairo, que acaba com a divisão existente entre ambas as fações desde 2007.

O Hamas, vencedor das eleições legislativas em 2006, foi privado da sua vitória devido à pressão internacional, expulsou a Autoridade Palestiniana liderada por Abbas e as forças de segurança da Faixa de Gaza, à custa de quase uma guerra civil em 2007.

A Autoridade Palestiniana, uma entidade reconhecida internacionalmente como um pré-Estado palestiniano independente, é dominada pela Fatah, secular e moderada e exerce o seu poder na apenas Cisjordânia, ocupada por Israel e distante da Faixa de Gaza por algumas dezenas de quilómetros.

Todas as tentativas de reconciliação entre a Fatah e o Hamas, que domina a Faixa de Gaza, falharam desde 2007.

Segundo o governo egípcio, o acordo prevê que a Autoridade Palestiniana terá o controlo total da faixa de Gaza até um de dezembro, tendo um alto responsável envolvido nas negociações indicado que três mil agentes da polícia da Autoridade Palestiniana vão ser destacados para o enclave e para as suas fronteiras com Israel e com o Egito.

Telavive observa atentamente e tem exigências

O governo israelita exige que qualquer governo de unidade palestiniano resultante da reconciliação de movimentos rivais reconheça Israel e desarme o Hamas, disse à agência Lusa um responsável israelita que não quis ser identificado.

“Qualquer reconciliação entre a Autoridade Palestiniana e o Hamas deve incluir um compromisso de respeito pelos acordos internacionais e pelas condições do Quarteto, a começar pelo reconhecimento de Israel e pela desmilitarização do Hamas”, referiu o responsável.

Com Lusa