Última hora

Última hora

Papa convoca Sínodo extraordinário sobre a Amazónia

Papa convocou Sínodo extraordinário consagrado à situação das populações da Amazónia. O anúncio foi feito durante a canonização de 35 mártires, entre os quais o padre português Ambrósio Francisco Ferro

Em leitura:

Papa convoca Sínodo extraordinário sobre a Amazónia

Tamanho do texto Aa Aa

Os bispos da Igreja católica vão reunir-se para refletir sobre a marginalização das populações indígenas da região da Amazónia, anunciou o papa este domingo, em Roma.

Este será um dos temas a ser discutidos num Sínodo extraordinário que deverá realizar-se em outubro de 2019, disse Francisco na Praça de São Pedro:

“O objetivo principal desta assembleia extraordinária, é encontrar novos caminhos para a evangelização desta parte do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, muitas vezes esquecidos e sem perspetivas de um futuro sereno, também devido à crise da Floresta Amazónica, pulmão de capital importância para o nosso planeta.”

Esta é a primeira vez que o papa Francisco convoca uma assembleia do Sínodo dos Bispos consagrada a uma região específica.

O anúncio foi feito no final da cerimónia de canonização de 35 mártires, entre os quais o sacerdote português Ambrósio Francisco Ferro, assassinados no Brasil por tropas holandesas, em 1645, durante perseguições anticatólicas no atual território da Arquidiocese de Natal, na altura sob jurisdição portuguesa.

Além dos mártires do Brasil, foram canonizados três jovens mexicanos (Cristóforo, António e João), mortos entre 1527 e 1529, considerados os “protomártires do México”, o padre espanhol Faustino Míguez (1831-1925) e o religioso capuchinho italiano Angelo de Acri (1669-1739).