Última hora

Última hora

Cimeira: Líderes europeus preocupados com crise na Catalunha

O tema não está oficialmente na agenda, mas a crise na região espanhola da Catalunha preocupa muitos dos líderes da União Europeia, reunidos em cimeira, em Bruxelas.

Em leitura:

Cimeira: Líderes europeus preocupados com crise na Catalunha

Tamanho do texto Aa Aa

O tema não está oficialmente na agenda, mas a crise na região espanhola da Catalunha preocupa muitos dos líderes da União Europeia.

À chegada para o primeiro dia de cimeira, quinta-feira, em Bruxelas, a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que “estamos muito atentos à situação na Catalunha e apoiamos a posição do governo espanhol, que tem o apoio dos principais partidos políticos de Espanha”.

“Estamos muito preocupados e esperamos que haja soluções baseadas na Constituição espanhola”, acrescentou Merkel.


O presidente francês seguiu a mesma linha de apoio ao primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, enunciando o lema que a União Europeia deve adotar para enfrentar essa e outras crises.

“Este Conselho Europeu será marcado por uma mensagem de unidade em torno de todos os Estados-membros, em especial dos que enfrentam crises como é o caso de Espanha”, disse Emmanuel Macron.

“E também demos ter unidade muito forte em relação ao debate sobre o Brexit, porque estamos todos unidos ao nível dos factos, interesses e ambições, e apoiamos o negociador Michel Barnier”, concluiu Macron.

Na agenda está outro tipo de separação, a do Reino Unido que quer deixar o bloco comunitário, mas cujas negociações estão num impasse.

“Este Conselho visa fazer um balanço. Trata-se, também, de olhar para o futuro e de como podemos enfrentar os desafios que todos partilhamos, em toda a Europa”, disse a primeira-ministra britânica, Theresa May.

“Isso significa, naturalmente, uma cooperação contínua, que se deve manter também na futura parceria que queremos construir juntos. É claro que também analisaremos o progresso concreto obtido durante as negociações e estabeleceremos planos ambiciosos para as próximas semanas. Por exemplo, quero chegar, rapidamente, a um acordo sobre os direitos dos cidadãos”, explicou May.

Os líderes vão analisar, também, os dossiês da migração, da segurança interna e da defesa externa, numa cimeira que terminará ao final da manhã de sexta-feira.