Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": protecionismo chinês e assinatura digital

"Breves de Bruxelas": protecionismo chinês e assinatura digital

Em leitura:

"Breves de Bruxelas": protecionismo chinês e assinatura digital

Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente chinês Xi Jinping foi reeleito como secretário-geral do Partido Comunista Chinês numa plataforma que defende cada vez maior destaque desta potência na economia mundial, mas mantendo um elevado protecionismo interno.

Esta falta de reciprocidade preocupa a União Europeia, segundo o embaixador da União Europeia na China, Hans-Dietmar Schweisgut: “A questão do mercado mundial teve menos destaque no discurso do Presidente, em comparação com o passado. Agora ele fez mais menções ao papel do Estado”.

Neste programa que passa em revista a atualidade europeia destacamos, ainda, o facto de, pela primeira vez, ter sido feita a assinatura digital de um ato legislativo, no Parlamento Europeu, numa cerimónia simbólica durante a sessão plenária, quarta-feira, em Estrasburgo.

Antonio Tajani , presidente do órgão parlamentar, e Matti Maasikas, ministro da Estónia, país que preside ao à União Europeia no segundo semestre, assinaram eletronicamente os textos juridicamente vinculativos do regulamento sobre “Segurança do aprovisionamento de gás”.

O desenvolvimento do digital é uma das prioridades da presidência estónia.