Última hora

Última hora

Puigdemont descarta convocar eleições e pede a parlamento que responda a Madrid

Parlamento catalão retoma sessão esta sexta às 12h00 para decidir resposta a eventual suspensão da autonomia do território.

Em leitura:

Puigdemont descarta convocar eleições e pede a parlamento que responda a Madrid

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do governo regional catalão descartou esta tarde a possibilidade de convocar eleições antecipadas, segundo ele, devido à falta de garantias de Madrid sobre a não aplicação do artigo 155 (suspensão da autonomia). Depois de ter cancelado duas intervenções, ao início da tarde, Carles Puigdemont acabou por efetuar a esperada “declaração institucional” apenas às 17h00 locais. No seu discurso, o presidente catalão considerou “abusiva e fora da lei” a aplicação do artigo constitucional pelo Senado. Ao final da intervenção, Puigdemont declarou ainda que, “cabe agora ao parlamento dedicir a resposta a dar ao artigo 155”. Uma sessão plenária iniciou-se às 18h00 locais quando os principais partidos aliados do governo regional rejeitam já a possibilidade de convocar um sufrágio antecipado, inicialmente previsto para dia 20 de Dezembro e deixam no ar a possibilidade de uma declaração unilateral de independência, amanhã, às 12h00 no parlamento catalão. Em paralelo, governo e oposição socialista chegam a um acordo no Senado que prevê a “aplicação gradual do artigo 155, dependendo das circunstâncias”, a emenda ao texto submetido amanhã aos senadores em Madrid, deixa a porta aberta a uma suspensão da autonomia “em suspenso”, caso Puigdemont decida ainda convocar eleições antecipadas para sair do braço de ferro com Madrid.

Os acontecimentos mais relevantes de uma nova jornada de tensão, minuto a minuto, na contagem decrescente para uma eventual suspensão da autonomia da Catalunha: