Última hora

Última hora

Londres pelos olhos de artistas franceses no exílio

Em leitura:

Londres pelos olhos de artistas franceses no exílio

Tamanho do texto Aa Aa

Os trabalhos de Claude Monet, James Tissot e Camille Pissarro foram influenciados pela arquitetura de Londres e pelo nevoeiro que caracterizam a cidade

Westminster é um ponto de passagem obrigatório em Londres. Na margem sul do rio Tamisa, o museu de arte moderna mais popular no mundo. A Tate Modern acolhe por estes dias uma exposição com os trabalhos de artistas franceses que se refugiaram no Reino Unido durante guerra Franco-Prussiana.

“Impressionistas em Londres, artistas franceses no exílio (1870-1904)” dá nome à exibição que reúne nomes como Claude Monet.

“Em Paris estes artistas – Claude Monet, James Tissot e Camille Pissarro – encontravam-se em cafés e em clubes noturnos. Quando aqui chegaram quiseram retratar a arquitetura nas zonas de Westmister, de Saint Paul e do Big Ben, mas também o nevoeiro envolto nessa beleza. Estavam interessados na cor e na forma como influenciava aquilo que viam” refere a Critica de Arte, Estelle Lovatt.

A cidade de Londres vista através do olhar dos artistas franceses no exílio vai estar patente ao público na Tate Modern até final de abril.

Mais sobre Cult