Última hora

Última hora

Ficha do FBI: Martin Luther King era "marxista e adúltero"

A ficha, até agora secreta, evoca uma suposta ligação com a cantora Joan Baez.

Em leitura:

Ficha do FBI: Martin Luther King era "marxista e adúltero"

Tamanho do texto Aa Aa

Os documentos secretos sobre o assassínio do presidente Kennedy não falam só do antigo ocupante da Casa Branca, como também de um dos contemporâneos mais emblemáticos: Martin Luther King Jr, líder da luta dos negros pelos direitos civis. Os ficheiros até agora confidenciais e agora revelados incluem várias informações que o FBI recolheu sobre King, na altura, e que fazem aumentar a especulação sobre os motivos que levaram ao assassínio em 1968.

Além de dizerem que King seria um marxista que estudou profundamente as teorias políticas de esquerda, os documentos citam um familiar de uma suposta amante, que diz que King mantinha várias relações extraconjugais, uma delas com a cantora Joan Baez, e tinha por costume participar em orgias.

Não se sabe o que daqui será verdade e o que serão rumores postos a circular para denegrir Martin Luther King. A verdade é que, desde que foi morto a 4 de abril de 1968, nunca deixou de se especular sobre King ter sido vítima de uma conspiração ao mais alto nível.