Produtores planeiam "matar" Kevin Spacey no pequeno ecrã

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
Produtores planeiam "matar" Kevin Spacey no pequeno ecrã

<p>Os produtores da série de televisão “House of Cards”, da Netflix, estão a planear “matar” a personagem interpretada por Kevin Spacey. Na sequência do escândalo sexual que implicou o ator nos últimos dias, a Netflix decidiu cortar todos os laços com o ator norte-americano, de 58 anos, e fez saber que o futuro da premiada série apenas será possível sem o homem que dá agora vida a “Francis Underwood.”</p> <p>Em comunicado, a plataforma de conteúdos digitais e para televisão fez ainda saber ter decidido “não avançar com o lançamento do filme ‘Gore’, que estava em pós-produção, interpretado e produzido por Kevin Spacey”. O filme será uma “biopic” de Gore Vidal, um escritor americano conhecido por ter escandalizado a ala mais conservadora da literatura americana no final da década de 1940 com um romance de teor homossexual, “A Cidade e o Pilar.”</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">UPDATE</span>: <a href="https://twitter.com/hashtag/HouseofCards?src=hash&ref_src=twsrc%5Etfw">#HouseofCards</a> producer <span class="caps">MRC</span> has suspended Kevin Spacey from the Netflix show<a href="https://t.co/HwnAuzL1Px">https://t.co/HwnAuzL1Px</a></p>— Variety (@Variety) <a href="https://twitter.com/Variety/status/926654027273789440?ref_src=twsrc%5Etfw">4 de novembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p></p> <p>Após terem surgido também denúncias de outros casos de assédio sexual protagonizados pelo ator nos bastidores de “House of Cards”, a produtora da série, a Media Rights Capital (<span class="caps">MRC</span>), decidiu, entretanto, suspender esta sexta-feira à noite o contrato de Kevin Spacey. Este será o primeiro passo para a retirada definitiva do ator da história de “House of Cards” e consequente despedimento.</p> <p>“Enquanto prosseguimos com a investigação às graves alegações contra o comportamento de Kevin Spacey nos bastidores de ‘House of Cards’, ele foi suspenso, com efeitos imediatos”, informou a <span class="caps">MRC</span>, em comunicado, acrescentando “continuar, em parceria com a Netflix, a avaliar o caminho criativo para a série durante esta paragem.”</p> <p>A revista Variety, especializada na indústria do entretenimento norte-americano, avança entretanto os planos em estudo para o futuro da série. O fim precoce de “House of Cards”, uma nova série a partir desta (“spin off”) ou a simples saída do ator estão em cima da mesa, com os responsáveis ponderar também os cerca de 300 trabalhadores contratados para pôr a série no ar e que não devem ser penalizados”:http://variety.com/2017/tv/news/house-of-cards-kevin-spacey-1202606647/ pela alegada má conduta da principal estrela da produção, lê-se no artigo.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Will <a href="https://twitter.com/hashtag/HouseOfCards?src=hash&ref_src=twsrc%5Etfw">#HouseOfCards</a> move forward without Kevin Spacey? Producers are exploring their options <a href="https://t.co/9OIwu0ZHNy">https://t.co/9OIwu0ZHNy</a> <a href="https://t.co/msZUUOW5NQ">pic.twitter.com/msZUUOW5NQ</a></p>— Variety (@Variety) <a href="https://twitter.com/Variety/status/926599884865720327?ref_src=twsrc%5Etfw">4 de novembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p></p> <p>A ideia em desenvolvimento passa por dar maior protagonismo à personagem de Robin Wright, “Claire Underwood”, a ambiciosa mulher da personagem de Spacey que chega à cadeira mais poderosa dos Estados Unidos. A Variety especula que a ideia pode ter siso inspirada na pergunta lançada pela atriz Jessia Chastain quinta-feira à noite nas redes sociais: “Poderá Robin Wright assumir agora o papel principal em ‘House of Cards’? Estamos prontos para isso.”</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Can <a href="https://twitter.com/hashtag/RobinWright?src=hash&ref_src=twsrc%5Etfw">#RobinWright</a> just be the lead of <a href="https://twitter.com/HouseofCards?ref_src=twsrc%5Etfw"><code>HouseofCards</a> now? We're ready for it.</p>— Jessica Chastain (</code>jes_chastain) <a href="https://twitter.com/jes_chastain/status/926334926680494080?ref_src=twsrc%5Etfw">3 de novembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p></p> <p>Spacey, de 58 anos, foi acusado no início desta semana de assédio sexual de um menor, num caso ocorrido 1986. O ator pediu desculpa e, na sequência, assumiu ser bissexual e estar atualmente a viver como homossexual. Mas outras denúncias mais recentes contra Spacey começaram a surgir e o ator começou a ficar isolado. </p> <p><figure style="display:block;padding:56.25% 0 0 0;margin:0;height:0;overflow:hidden; position:relative;"><iframe src="http://pt.euronews.com/embed/398507" width="100%" height="auto" frameborder="0" allowfullscreen style="border:0;position:absolute;top:0;left:0;width:100%;height:100%"></iframe></figure></p></p> <p>Na quinta-feira, Spacey foi descartado pela Agência Criativa de Atores (<span class="caps">CAA</span>, na sigla original) e pela representante de longa data Staci Wolfe. Na sexta-feira, uma outra investigação foi aberta em Londres a uma outra denúncia contra o ator norte-americano, vencedor de dois Óscares da Academia de Hollywood (“Suspeitos do Costume”, 1996, e “Beleza Americana”, 2000) cuja carreira está em queda livre apenas dois anos após ter ganho também um Globo de Ouro pelo papel interpretado em “House of Cards.”</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Kevin Spacey the target of Scotland Yard sexual-assault investigation: Report <a href="https://t.co/raYT3P9aIQ">https://t.co/raYT3P9aIQ</a></p>— The Washington Times (@WashTimes) <a href="https://twitter.com/WashTimes/status/926476765190610945?ref_src=twsrc%5Etfw">3 de novembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p></p>